ISSN 1806-9312  
Quarta, 29 de Maio de 2024
Listagem dos arquivos selecionados para impressão:
Imprimir:
852 - Vol. 10 / Edição 5 / Período: Setembro - Outubro de 1942
Seção: Trabalhos Originais Páginas: 533 a 550
UM NOVO CONJUNTO DE AFASTADORES AUTOMATICOS EM RINOLOGIA
Autor(es):
DR. E. VELOSO VIANNA (1)

Cumprindo a promessa feita em axtigo publicado nesta revista n.º 2 do corrente ano, levamos ao conhecimento dos colegas de especialidade um conjunto de afastadores automaticos de nossa autoria, que por certo irá beneficiar áqueles que, como nós lutam, ás vezes, com a falta de auxiliar bem inteirado do seu papel junto ás nossas intervenções.

Todo o conjunto é formado por sete peças (Fig. 1), todas elas empregadas para varias intervenções, na nossa especialidade. O seu mecanismo é diverso, quer se aplique para operações do seio da face, do desvio do septo ou para operações endo-nasais. Em todas elas, preliminarmente coloca-se a fita da cabeça, (Fig. n.º 7), que é constituida por duas partes: uma metalica e uma de algodão. Deve ficar bem presa; não incomodando, entretanto, o paciente devido a adaptar-se perfeitamente á cabeça. Na parte metalica, existem dois botões que correm na mesma, ficando lia posição desejada e servem para prender os afastadores, pois possuem um parafuso com rosca. Para que o afastador fique bem preso existe a chave propria (Fig. 1 n.º 6).

Quando é utilisado para operação do seio maxilar (operação de Caldwell-Luc) usam-se as partes 1, 2 e 3 da figura 1, armadas como mostram as figuras 2 e 3. Os afastadores, para esta operação, são em numero,de dois, um fixo e um com articulação, ,que varia conforme o caso, si á direita ou á esquerda a operação a, realisar-se. O fixo (fig. 1 n.º 1) serve para puxar para cima o labio superior e é usado indistintamente para ambos os lados. O articulado (fig. 1 n.º 2 e 3) serve para puxar a comisura labial para cima e para fora, e é usado ora para a direita, ora para a esquerda, conforme a articulação. Coloca-se o afastador em posição, após a anestesia, para facilitar a incisão do sulco gengivo labial e muda-se em seguida á ruginação do periostio, em definitivo até o final da operação, pois não atrapalha em nada a colocação do especulo nasal para a verificação da contra abertura.

Quando é utilizado para operação do septo (operação de KILLIAN), usam-se as partes 2 e 5 da figura 1, arinadas como mostram as figuras 4 e 5. Variando o lado da abertura da mucosa, varia tambem a posição do afastador, como pode-se notar nas fotografias, pois a n.º 4 está armada para ser usada na abertura do lado esquerdo e a 5 para o lado direito. Coloca-se o afastador, logo após o completo descolamento da mucosa septal de ambos os lados, retirando-se somente para fazer o tamponamento.

Quando é utilizado para intervenções endo-nasais (turbinectomia, ablação de polipos, cauterisações, etc.) usam-se as partes 2 e 4 da figura 1, armadas como mostram as figuras 6 e 7. Conforme o lado a ser operado, varia a posição, dando-se urna ligeira inclinação tambem variavel com o caso. Coloca-se o afastador logo após ter-se efetuado a anestesia, portanto desde o inicio das mesmas.

Antes de citarmos as vantagens que estes afastadores possuem, devemos justificar que, em dizendo como já o dissemos em observações publicadas, "afastadores de nossa autoria", o fazemos com plena consciência e não, em plagio como possam querer julgar alguns colegas, que já conhecem afastadores automáticos.

Trabalhando, e ainda estudante, no serviço da especialidade no 1.º Centro de Saude da capital do meu Estado natal, a Bahia, vimos nos instrumentos cirurgicos colocados á margem e por ninguem usados, um conjunto de afastadores para seio maxilar composto de uma fita de aço cheia de botões fixos e de treis afastadores, um reto e dois curvos, de fabricação da Casa Lüer de Paris. Posteriormente, já nesta cidade e trabalhando na Casa de Saude São Luiz, tínhamos dificuldade em operar, pois oramos sempre auxiliados pelo nosso distinto e competente colega Décio de Freitas, cujo tempo estava sempre tomado por suas ocupações. Brincando com este colega amigo sempre lhe dizíamos que ainda acabaríamos por inventar uni afastador automático para substitui-lo nas nossas intervenções.

Saindo da Casa de Saude, como o fizemos montando consultório fora da mesma, mais dificil tornou-se a questão de auxiliar. Prestou-nos, então, seu concurso o nosso particular amigo Dr. Cícero Macedo de Oliveira, á quem deixamos, neste artigo, um agradecimento sincero. Como o colega Décio, o Dr. Cícero, era tambem muito ocupado e, ás vezes, deixava a direção de sua conceituada farinaria ou de seus negócios para nos auxiliar, jamais percebendo um tostão sequer de remuneração pelo seu trabalho.



Fig. 1



Fig. 2



Fig. 3



Fig. 4



Fig. 5



Fig. 6



Fig. 7



Urgia, portanto, uma providencia de -nossa parte para que se evitassem tais abusos de ainisade. Foi, então, que soubemos possuir o Dr. Leontides de Paiva, coléga da especialidade que vive clinicando em diversas cidades do nosso país e levando a longínquas paragens o consolo áqueles que por comodismo, por dificuldade de transporte, vivem a sofrer, uns afastadores automáticos. E um colega boníssimo e tini espírito irrequieto que só se sente beni, como já nos disse varias vezes, Couto itinerante. Procurando-o, ele nos mostrou os afastadores de fabricação Lücr dos quais tiramos o desenho e mandamos fazer uni modelo, mais ou menos semelhante. Usamos unia só vez e notando diversos inconvenientes idealizamos e mandamos construir -o que ora apresentamos aos caros colegas por meio desta colaboração, já que militamos no interior e dificilmente temos ocasião de frequentar as sociedades de medicina.

Para melhor clareza, vamos compará-lo ao que conhecemos de fabricação Lüer. Deixamos de citar o nome do autor por ignorá-lo e nada encontrar a respeito tios livros e revistas que possuimos e mais por não termos em mãos o catalogo Lüer.

A fixação á cabeça é feita, no Lücr, por intermedio de tinia fita de aço cheia de pinos fixos ao passo que no nosso ela é conseguida á custa de unia fita de metal flexível e que, no adulto, ocupa o espaço que vae da glabela á mastoide, e o restante de fita de algodão, susceptível, portanto, de ser adaptada a qualquer tipo de cabeça que, como sabemos, é variadissíma. Não possue pinos fixos e sim dois botões com rosca e que podem variar de posição conforme o caso. Os afastadores, propriamente ditos, os Lüer, são em numero de tres, tini reto e dois curvos, direito e esquerdo, com angulação constante. São grandes, grossos e de material bem duro não flexível. Os nossos são dois apenas, feitos de material mais ou trenos flexível, podendo, destarte, ser adaptados a cada um dos casos, e são mais delicados e finos. A aste que liga os afastadores á cabeça é, nos Lüer, cheia de orifícios que ora não coincidem com o afastamento que desejamos e a qualquer movimento desprendem-se; os nossos têm o cabo de ligação a cabeça completamente aberto por um sulco que, na parte superior é mais dilatado, de modo a dar passagem ao parafuso que o liga á fita da cabeça, ficando por isso fixo a qualquer distancia e não se desprendendo ao toque, de vez que depois da fixação constitue uma unira peça. Como já dissemos são somente dois, um reto (Fig. 1 e 2 n.º 1) e uni articulado, (Fig. 1 n.º 2 e 3, fig. 2 n.º 2) podendo por causa desta articulação ficar com o angulo desejado em cada caso, conforme pode-se notar comparando-se a angulação das figuras 2 e 3. Figura esta tirada tão somente para demonstração fotográfica ; por- tal razão, a posição dos afastadores não está como na realidade. Não é uma fotografia de doente e sim de um pequeno que: se prestou para podermos dar uma idéa da verdadeira posição. Esta mesma ressalva fazemos com a fotografias 5 e 7.

A outra articulação para septo (recessão sub-mucosa) completamente original - pelo menos não vimos até hoje nada semelhante - compõe-se, conforme se observa nas figuras 4 e 5, da mesma fita de cabeça, o mesmo suporte 2 e a peça 5 da figura 1. E' um especulo de KILLIAN invertido, tendo na extremidade fixa uma peça intermediaria que serve para adaptá-lo á peça 2 da figura 1 que, por sua vez, fixa-o á cinta da cabeça. Possue em um dos ramos do especulo um parafuso que serve para graduar-se a abertura do mesmo durante a intervenção.

Finalmente a terceira modalidade de articulação, que é tambem original para quasi todos os colegas menos para nós, é apenas uma adaptação aos nossos dois outros conjuntos; tal idéa pertence ao colega Leontides de Paiva, que, conforme já citamos, teve a gentileza de nos mostrar os afastadores Lüer e esta sua invenção. Compõe-se de um especulo tipo Voltolini, soldado a uma aste, que se adapta á peça 2 da figura 1. Serve esta modalidade para operações endo-nasais; tais como turbinectomias, ablações de polipos, cauterisações, pois foram estas as intervenções que praticamos com este conjunto. Como já dissemos esta ultima modalidade não é idéa nossa e si assim fazemos, apezar de sabermos que o colega nada tem escrito neste sentido, é porque - não gostamos, em absoluto, de usurpar glorias que não nos pertenceis.

Feita esta justificação, ao nosso ver necessaria, vamos expor agora as vantagens deste nosso invento e modificação. Já tivemos a oportunidade de dizer das dificuldades que contávamos nas nossas intervenções e, corna nós, uma grande maioria de colegas, principalmente daqueles do interior, que não possuam casas cie saude com auxiliares técnicos. E' justamente para estes que este nosso conjunto irá prestar os mais relevantes serviços. Habituamo-nos tanto a operar com estes auxiliares mudos, que não se mexem, que não se cansam, pois na realidade fatiga mais ajudar-se uma operação de sinusite do que fazê-la, que inaugurando em breve o nosso Instituto especialisado e contando com um ótimo colega e auxiliar nas futuras lides, penso que não os abandonarei. As vantagens destes afastadores vamos citar por ordem e, assim sendo, começaremos pelo da operação de sinusite.

Com os nossos afastadores o campo operatorio fica mais livre, pois são duas mãos a menos no mesmo e, como já dissemos, os afastadores não se mexem, não se cansam, e pode-se modificar a vontade a posição da cabeça do doente que eles continuam firmes. Isto aconteceu com os casos n." 5 e n.º 26, que foi preciso levantar o doente para fazermos a ablação do polipo nasal e nem assim retiramos os mesmos da posição inicial, e, após a sua retirada, continuarmos a intervenção como se nada houvesse de anormal. Temos tambem observado que o post-operatório nos doentes que usamos os nossos afastadores corre maravilhosamente bem e o edema é quasi imperceptível. Pensamos, pois, que a diminuição do edema corra por conta de um afastamento uniforme e sem constantes modificações. As intervenções em que usamos o nosso afastador foram também diminuídas no tempo de duração, o que é facilmente explicado pela ausencia de modificações e pelo campo mais livre; de fato colocamos definitivamente os afastadores depois de termos ruginado o periostio e só os retiramos ao fim da intervenção.

Todos nós sabemos corno é trabalhosa a retirada de um esporão da parte inferior do septo, principalmente quando ele é profundo e que neste tempo operatorio o melhor ajudante que por acaso exista, quasi nada adianta ; em verdade si lhe entregarmos o especulo ele não o mantem na posição desejada; si lhe entregarmos a goiva, o mesmo acontece, de vez que ele não está vendo a espinha a ser retirada e si lhe entregarmos o martelo ele ou baterá leve de mais ou com excesso, pelo motivo de não ter noção do obstaculo a ser retirado. O que acontece então? Temos de ser verdadeiros malabaristas e a nossa mão esquerda que nesta intervenção - e em todas as operações endo-nasais serve apenas para segurar o especulo - fica inutilizada e tem de se desdobrar, pois ao mesmo tempo que segura o especulo terá que segurar tambem a goiva. Em tal situação, fixamos o especulo com os dedos anular e minimo e com os tres outros seguramos a goiva. Nesta posição, os nossos dedos seguram, por demais apertado a goiva e temos que dar uma serie bem grande de marteladas, o chie incomoda sobremodo o paciente. Usando-se o nosso afastador, temos a vantagem enorme de ficarmos com as duas mãos em liberdade, destarte, operarmos com muito mais rapidez; os esporões e cristas, tão cacetes de serem retiradas, saem com a maior das facilidades pelo fato de termos as duas mãos livres: com uma, seguramos a goiva e coai a outra damos a pancada com o martelo que é controlado pela nossa vista. Nas intervenções que praticamos com este novo e talvez unico auxiliar, Houve diminuição de tempo e resultados os mais brilhantes possíveis. Em um caso, o da observação n.º 27, que era um esporão e espessamento da parte ossea do septo na sua parte superior, quasi ao nivel cios ossos proprios do nariz, retiramos, com a maior das facilidades, o obstaculo, o que, sem este auxiliar, confessamos, talvez nos embarassassemos muito e levássemos um tempo por demais prolongado. Este caso foi operado em presença do nosso caro e distinto colega Diógenes Magalhães para que ele si inteirasse de nossa invenção. O Dr. Diógenes que é um dos mais brilhantes cirurgiões de toda esta zona, com varias viagens de estudo ao - extrangeiro, pelo que nos disse, saiu bem impressionado com o nosso afastador. Pelas mesmas razões de termos nas operações endo-nasais a nossa mão esquerda inutilizada em segurar o especulo, a terceira e ultima variedade de articulação do nosso conjunto é útil e tambem vantajosa, pelo menos nos casos em que o usamos até o presente momento, isto é : em turbinectomias, nas ablações de polipos e nas cauterisações galvânicas.

Nas operações de corneto, permite-nos a grande vantagem de estarmos com a mão esquerda ocupada em enxugar o sangue e a facilidade de fazermos a ablação da cauda dos mesmos, auxiliando-nos a colocarmos a alça de aço que, como sabemos, nem sempre é facil. Esta mesma vantagem ele nos oferece ao introduzirmos os polipos na alça do polipotomo.

rações, o tempo operatorio diminue muito se altera em nada; pelo menos, nos casos o. presente momento.

Estes nossos afastadores poderão servir tambem, para outras intervenções na boca. Entretanto não possuímos nenhuma observação neste sentido. Por esta razão a articulação para seio maxilar deverá ser portanto bem util aos cirurgiões dentistas que estão sempre as voltas com apícetomias e por isso precisando de auxiliar e com as mesmas dificuldades nossas. Si usarem o nosso afastador dispensarão o auxiliar vantajosamente como aconteceu conosco.

Assim sendo, passamos a apresentar as nossas observações, o numero delas já é bem regular e felizmente, até hoje, só tivemos caso com ótimo resultado.




OBSERVAÇÕES

N.o 1 - REGISTRO CLINICO n.º 171 - DATA 8-10-37 - F. R. M. J. com 20 anos branco, guarda livros, brasileiro, solteiro, residente nesta cidade.

CONSULTA ATUAL - 6-1-42 - Queixa-se de falta de respiração nasal suficiente e pensa que os constantes resfriados que tem corram por conta disto. Diagnostico: Desvio do septo para a direita e crista bi-lateral inferior. Tratamento: Operação de Killian-Anestesia local com cocaína adrenalinisada e infiltração da mucosa do septo com Scurocaina. Usamos o nosso afastador logo após descolamento da mucosa de ambos os lados do septo. Penso em dedo de luva. Post-operatório normal. Resultado ótimo.

N.o 2 - REGISTRO CLINICO n.º 306 - DATA 24-1-38 - J. X. B. com 38 anos, branco barbeiro, brasileiro, solteiro, residente em Sta. Rita do Parnaíba Est. de Goiás.

CONSULTA ATUAL - 29-10-41 - Vem a consulta desta vez queixando de má respiração nasal com forte entupimento do nariz e uma zoada nos ouvidos. Diagnóstico: Desvio do septo para a direita e hipertrofia compensadora do corneto inferior esquerdo. Obstrução tubária. Tratamento: Operação de Killian-Anestesia com cocaína e escurocaina por infiltração. Usamos o nosso afastador após descolamento das mucosas. Penso em dedo de luva. Post-operatório normal. Resultado ótimo.

N." 3 - REGISTRO CLINICO - n.º 331 - DATA 9-2-38 - V. T. A, com 13 anos, branca, estudante, brasileira, solteira e residente nesta cidade.

CONSULTA ATUAL - 16-4-41 - Vem a consulta porque o olho direita começou a incomodar, sentindo no mesmo uns riscos pretos e diminuição da visão. Sente tambem um mau cheiro no nariz e sempre está atacada de constantes resfriados. Diagnóstico: Nevrite ótica esquerda e sinusite maxilar deste mesmo lado, confirmada pelos Raios X. Tratamento- Operação de Caldwell-Luc no seio esquerdo. Anestesia loco-regional . com cocaina e Scurocaina. Auxiliar. O DE NOSSA AUTORIA com otimo resultado. Pós-operatório ótimo, quasi sem edema. Tratamento da nevrite.

N." 4 - REGISTRO CLINICO - n." 488 - DATA - 21-5-38 S. R. com 23 anos, branco, lavrador, brasileiro, solteiro e residente neste município.

CONSULTA ATUAL - 7-4-41 - Queixa-se que não respira nada pelo nariz e às vezes, fica sem fôlego. Não pode correr ou andar mais rapido que lhe vem uma canseira imensa. Diagnóstico: Desvio do repto para a direita e forte hipertrofia do corneto inferior esquerdo. Tratamento: Operação de Killian. Anestesia local cocaína e Scurocaina. Usamos o nosso afastador após ser deslocada a mucosa de ambos os lados do septo. Penso em dedo de Luva. Post-operatório normal e no dia 26 cauterizarmos o corneto inferior esquerdo. Em ambas as operações, usamos os nossos afastadores, com resultado ÓTIMO.

N." 5 - REGISTRO CLINICO - n.º 1000 - DATA - 19-9-39 A. G., com 53 anos, branco, lavrador, brasileiro, casado e residente em Morrinhos - E. de Goiás. (Observação publicada na REVISTA BRASILEIRA DE OTO-RINO-LARINGOLOGIA II:42.

CONSULTA ATUAI. - 2-12-41 - Vem queixando de respiração nasal deficiente no lado esquerdo. Diagnóstico: Polipo de Killian e sinusite maxilar do mesmo lado, cola confirmação radiologica. Tratamento: Operação de Caldwell-I,1e e retirada cio polipo nasal. Anestesia loco-regional pela cocaina e scurocaina. Auxiliar não houve, pois usamos o afastador de nossa autoria. Post-operatório normal. Resultado ÓTIMO.

N.º 6 - REGISTRO CLINICO - n.º 1020 - DATA - 5-10-39 -R. D. C., com 31 anos, tranca, domestica, brasileira, solteira e residente nesta cidade.

CONSULTA ATUAL: - 8-8-41. Queixa de dor localisada no supercílio e no olho esquerdo. Diagnóstico: Sinusite maxilar esquerda confirmado pelos Raios X. Tratamento: Operação de Caldwell-Luc. Anestesia loco regional com cocaina e scurocaina. Auxiliar não houve, pois usai,u,s o nosso afastador automático. Post-operatório: correu sem anormalidades. Resultado: Ótimo;

N." 7 - REGISTRO CLINICO - n.º 1081 - DATA - 21-11-39 - G. F. B., com 39 anos, branca, domestica, brasileira, casada e residente nesta cidade.

CONSULTA ATUAL - 3-2-42 - Vem á consulta queixando que a respiração nasal principalmente á noite, fica ruim e ora intope um lado ora o outro. Diagnóstico: Rinite hipertrofica basculante. Tratamento: Com anestesia por embibição de cocaina adrenalinisada fizemos a galvano cauterização dos cornetos inferiores de ambos os lados. Usamos (ì nosso afastador na terceira articulação. Resultado: ÓTIMO.

N.º 8 - REGISTRO CLINICO: n.º 1161 -- DATA: - 8-2-40 - J. R., com 22 anos, branco, estudante, brasileiro, solteiro e residente nesta cidade.

CONSULTA ATUAL: - 25-7-41 - Queixa que a respiração nasal não é boa e que fica sempre fanhoso. Diagnóstico: Hipertrofia dos cartuchos inferiores de ambos os lados. Tratamento: Após termos anestesiado, por embebição de cocaina adrenalinisada, os cornetos inferiores de ambos os lados, fizemos a galvano-cauterisação. Usamos os afastadores automáticos de nossa autoria com resultado ÓTIMO.

N.º 9 - REGISTRO CLINICO: - N.0 1477 - DATA: - 17-10-40 - A. G., com 16 anos, branco, estudante, brasileiro, solteiro e residente em Buriti Alegre. E. de Goiás.

CONSULTA ATUAL: - 11-12-41. - Vem á consulta trazido por um distinto colega e informa que a respiração nasal não está bôa e que tesa constantes resfriados.

DIAGNÓSTICO:

Desvio do septo para a direita e com um forte esporão lia parte baixa, saliente em ambos os lados. Hipertrofia compensadora no lado esquerdo.

TRATAMENTO: - Operação de Killian. Anestesia local habitual. Penso em dedo de luva. Post-operatório normal. Em 13-3-42 fizemos .. galvano-cauterisação apesar de ter passado bem e não mais resfriar-se. Em ambos os casos usamos os nossos afastadores com resultado ÓTIMO.

N.º 10 - REGISTRO CLINICO: n.º 1743 - DATA: - 22-3-41. - L, A., com 13 anos, branca, estudante, brasileira, solteira e residente nesta cidade.

DOENÇA ATUAL: - Nesta mesma data e enviada por um outro colega vem á consulta e queixa que não pode respirar tem pela narina direita. Diagnóstico: Polipos múltiplos do lado direito. Tratamento: Ablação dos polipos com a alça fria e com a pinça de Luc. Anestesia por imbibição com cocaina adrenalina. Usamos o nosso conjunto para este caso com ÕTIMO resultado. Em 29-10-41 pedimos radiografia dos seios da face por ter voltado novamente com o mesmo incomodo e não apareceu mais no consultório.

N." 11 - REGISTRO CLINICO: n.º 1772 - DATA: - 5-4-41 -11. A. G., com 34 anos. branca, domestica, brasileira, solteira, residente nesta cidade.

DOENÇA ATUAL: - 3-10-41 - De ha muito vem sentindo unta falta de respiração nasal e foi por varias vezes por nós proprios aconselhada a operar-se e desta vez vem resolvida a isto. Diagnóstico: Desvio do repto em S itálico tocando em ambos os cornetos. Tratamento: Operação de Killian. Anestesia por imbibição com solução de cocaina adrenalinisada e. infiltração com scurocaina. Após completo descolamento das mucosas septais, colocamos o nosso afastador e só o retiramos para fazermos o penso que, como de costume, em dedo de luva. Resultado ÓTIMO; Dois trezes depois nos encontramos com a doente que se achava completamente boa.

N.º 12 - REGISTRO CLINICO - n.º 1788 - DATA: - 11-4-41 - J. M. F., com 27 anos, branco, lavrador, brasileiro, solteiro e residente em Sta. Rita do Parnaiba. E. de Goiás.
CONSULTA ATUAL: - Nesta mesma data vem a consulta e informa que mais ou menos ha dois mêses foi operado de labio leporino por tini colega e logo após começou a sentir unta dôr no nariz e dentes incisivos e canino e a respiração nasal ficou bem prejudicada. Diagnóstico: Desvio do septo para a esquerda e falta de soldadura da mucosa ao nível do vestíbulo nasal por falta de coaptação perfeita devido ao desprendimento prematuro de um ponto. Tratamento: Operação de Killian. Anestesia habitual, Usamos o nosso afastador com resultado ÓTIMO; Post-operatório normal e, no dia 18; densos tini ponto da comunicação gengivo nasal após termos avivado os bordos da comunicação. O ponto não pegou e conto i doente não mais sentiu as dores que tanto o incomodavam (: a respiração estava bôa permitimos que o mesmo regressasse, tal era a sua pressa.

N." 13 - REGISTRO CLINICO: n.º 1797 - DATA: - 14-4-41 - H. Z., com 18 anos de idade, branca, domestica, brasileira, solteira. e residente nesta cidade.

CONSULTA ATUAL: - Nesta mesma data nos procurou, pois sente uma dor bem forte localisada no supercílio, e ao mesmo tempo, porque tem uni constante corrimento nasal. Um forte máu cheiro tambem a incomoda sobremodo. Diagnóstico: Sinusite maxilar esquerda, confirmada pela radiografia dos seios (Ia face e astigmatismo A. O. Tratamento: Receitamos os vidros corretores do astigmatismo e quanto a sinusite fizemos a operação de Caldweli-Luc. Anestesia local regional cota cocaina e scurocaina. Ausência de auxiliar, substituído pelo nosso afastador. Post-operatório normal e edema de especie alguma. Resultado ÓTIMO.
N." 14 - REGISTRO CLINICO: - n." 1813 - DATA: - 21-4-41 - M. T., com 29 anos, branca, domestica, casada e residente nesta cidade.

CONSULTA ATUAL: - De ha muito vem sentindo uma dor beta for te nos olhos. Ao mesmo tempo a respiração nasal está dificultosa e para aumentar o seu sofrimento de quinze (lias a esta data começou a notar no olho esquerdo uma mancha preta. Diagnóstico: Sinusite maxilar 1)'1_ lateral. Exame radiologico confirmou plenamente o diagnostico clinico. Astigmatismo A. O. e Coroidite O. D. Tratamento: Prescrevemos o uso dos vidros corretores do astigmatismo e operamos os seios doentes. Fizemos a operação de Caldwe11-Luc. Anestesia loco regional habitual. O auxiliar foi dispensado pois usamos o nosso afastador automático. Post-operatório normal. Resultado õTI1s10: prescrevemos o tratamento da lesão ocular.

N.º 15 - REGISTRO CLINICO: n.º 1839 - DATA: - 2-5-41 - J. Q. A., com 25 anos, branco, lavrador, brasileiro, casado e residente em Monte Alegre. E. de Minas.

CONSULTA ATUAL: 3-9-41. A cerca de um ano, vem sentindo na hemi-face esquerda, uma dor manhosa e ao lado desta vive sempre com a respiração dificultada com constantes resfriados. Diagnostico: Sinusite maxilar esquerda. Confirmação radiologica. Tratamento: Operação de Caldwell-Luc no seio doente. Anestesia como sempre, loco regional com cocaína scurocaina. Usamos o nosso afastador automático, razão porque não tivemos auxiliar. Post-operatório normal. Resultado ÓTIMO.

N.º 16 - RESULTADO CLINICO n. 1850. DATA: 10-5-41. 1-.1.0. com 53 anos, parda, domestica, brasileira, casada, e residente neste município.

CONSULTA ATUAL: - Ha bem tempo, vem sofrendo de unia dôr de cabeça que passeia muito e às vezes se localiza nos supercílios (SIC).; tem tambem uma insonia rebelde e uma zoada bem forte no ouvido. Diagnóstico: Sinusite maxilar bilateral. Confirmada com a radiografia dos seios. Hipertensão arterial. Tratamento: Como sempre, usamos a tecnica de Caldwell-Luc em ambos os seios. Anestesia loco regional cocaína scurocaina. Auxiliar: o nosso automático. Resultado ÓTIMO.

N.º 17 - REGISTRO CLINICO N. 1875. DATA: 21-5-41. P. F., com 38 anos, branca, brasileira, domestica, casada e residente em Bonito. E. de Mato Grosso.

CONSULTA ATUAL: - Desde creança que vem tendo crises de asma e dificuldade no respirar. Resfria-se facilmente. Não vê bem para longe. Diagnóstico: Desvio cio septo em S itálico tocando em ambos oo lados nos cornetos. Miopia A. O. Tratamento: Receitamos os óculos corretores do vicio de refração e sob anestesia local habitual fizemos a operação de recessão sub-mucosa do septo osteo cartilaginoso. No tempo apropriado usamos o nosso afastador automático. Penso, como sempre, usamos dentro do dedo de luva. Resultado ÓTIMO.

N.O 18 REGISTRO CLINICO n. 1963. DATA: 26-7-41. Y. F. B., com 10 anos, branca, brasileira, estudante, solteira e residente neste muni. cipio.

CONSULTA ATUAL: - Ha mais ou menos uns treis anos começou a não ter boa respiração nasal e do lado direito apareceu unia carne, que ao fazer força para soar o nariz saía. Foi operada por um colega não especnali9ta, daqueles que pensam que só eles sabem tudo e que tudo devem fazer. Como o mesmo incomodo voltasse, resolveu procurar-nos. Diagnóstico: Polipóse nasal lado direito. Tratamento: Após anestesia por imbibição com cocaína-adrenalinisada e usando o afastador nosso, fizemos a ablação de, polipos com a alça fria e a pinça de Luc. Post-operatório normal. Resultado ÓTIMO.

N.º 19 REGISTRO CLINICO n. 1982. DATA: 4-8-41. M. T. V. C., com 15 anos, branca, brasileira, estudante, solteira, e residente nesta cidade.

CONSULTA ATUAL: - 4-12-41. Vem á consulta porque sente a garganta incomodar muito e já por diversas vezes teve anginas. A respiração tambem é dificultosa, principalmente á noite. Diagnóstico: Amigdalite cronica e hipertrofia dos cornetos. Tratamento: Fizemos a amidalectomil total pelo Sluder e a cauterização galvânica dos cornetos inferiores. Anestesia local e usamos o nosso afastador, com resultado OTIMO.

N." 20 - REGISTRO CLINICO n. 2004. DATA: 14-8-41. J. R., com 30 anos, branco, comerciante, italiano, casado e residente nesta cidade.

CONSULTA ATUAL: - Ha perto de um ano mais ou menos sente a respiração nasal dificultada principalmente quando vae deitar-se. Diagnóstico: Rinite em báscula. Tratamento: Feita a anestesia local costumeira e usando o nosso afastador, fizemos a galvano-cauterisação dos cornetos inferiores de ambos os lados, com resultado ÓTIMO.

N." 21 - REGISTRO CLINICO n. 2051. DATA: 5-9-41. M.F., com 64 anos, branco, fazendeiro, brasileiro, casado e residente em Buriti Alegre. E. de Goiás.

CONSULTA ATUAL: - 15-I1-41. Após ter uma miase nasal trata(Ia a principio por outro colega e terminado o tratamento por nós, começou a sentir novamente mau cheiro no nariz e corrimento abundante. Diagnóstico: Sinusite maxilar esquerda consecutiva a miase nasal. Exame aos Raios X confirmaram o diagnostico clinico e diafanoscopico. Tratamento: Operação de Caldwe11-Luc no seio maxilar esquerdo, com anestesia habitual. Auxiliar substituido pelo nosso afastador. Post-operatório normal, sem acidentes. Resultado ÓTIMO.

N." 22 - REGISTRO CLINICO n. 2075. DATA: 16-9-41. M.L.S., com 13 anos, branca, estudante, brasileira, solteira e residente neste Município.

CONSULTA ATUAL: - 8-10-41. Ha mais ou menos um ano vem sentindo um forte mau cheiro no nariz, assim como um abundante corrimento nasal no lado esquerdo. Diagnóstico: Sinusite maxilar esquerda confirmada com Raio X. Tratamento: Operação de Caldwell-Luc no seio, esquerdo. Anestesia loco-regional habitual e auxiliar substituido pelo nosso afastador. Post-operatório sem acidentes e quasi sem edema post-operatório. Resultado ÓTIMO.

N.º 23 - REGISTRO CLINICO n. 2102. DATA: 28-9-41. E. B., com 42 anos, branca, domestica, síria, casada e residente em Sta. Rita do Parnanaiba. E. de Goiás.

CONSULTA ATUAL: - A cerca de seis anos, vem sentindo uma forte dor de cabeça localisada na fronte. Esta dor tem periodos de acalmia e de piora. Quando está bem forte é quasi insuportável e reflete-se na nuca, impedindo o sono. Diagnóstico: Nevralgia, por sinusite maxilar bilateral. Radiografia revela o completo obscurecimento de ambos os seios maxilares. Tratamento: Feita a anestesia costumeira e auxiliado com o nosso afastador, fizemos a operação de Caldwell-Luc em ambos os seios. Post-operatório sem novidade e normal: Resultado ÓTIMO.

N.º24 - REGISTRO CLINICO n. 2105. DATA: 29-9-41. M. U. A., com 21 anos, branca, brasileira, casada, domestica, residente em Tupaciguara, neste Estado.

CONSULTA ATUAL: - De ha muito vem sentindo que não pode respirar bem, pois o nariz vive constantemente obstruido e de quatro (lias para cá tem tido uma forte dor de cabeça. Diagnóstico. Sinusite maxilar bilateral, confirmada pelos Raios X. Tratamento: Operação de Caldwell-Luc em ambos os lados com anestesia loco-regional com cocaina e scurocaina. Post-operatório normal e sem novidade. Resultado ÓTIMO.

N.º 25 - REGISTRO CLINICO n. 2107. DATA: 29-9-41. J. U., com 42 anos, pardo, brasileiro, lavrador, casado e residente no município de Monte Alegre, Minas.

CONSULTA ATUAL: - Levou no olho esquerdo uma forte pancada e isso á cerca de quatro dias. Não pode abrir o mesmo e tem uma forte dor de cabeça na fronte. Diagnóstico: Ulcera cia córnea, O. E. com hipopion e com sinusite maxilar do mesmo lado. Tratamento: A terapeutica foi feita no sentido de dar alivio ao paciente; tratamos, pois, da ulcera, que como se depara na anamnese era traumatica. Após melhorar um pouco te, e novo período em que se acentuaram as dores, a ponto do doente nos solicitar que retirássemos o olho. Só poderíamos explicar esta recairia pela existencia de um fóco qualquer que estivesse mantendo aquela lesão que a principio parecia facil de ceder. Mandamos então, após novo exame da boca, nariz c diafanoscopia dos seios, que foram negativos, tirar uma radiografia dos seios da face e que foi executada pelo nosso distinto amigo Dr. Virgílio Mineiro. Revelou pois a mesma a presença de uma sinusite maxilar do mesmo lado da lesão ocular. Não vacilamos um só instante e fizemos a operação de Caldwell-Luc, sob anestesia local habitual. Usamos o nosso afastador em substituição ao auxiliar. No dia imediato o nosso doente amanheceu bem melhor da lesão ocular e poude conciliar o sono. Daí por deante a lesão foi regredindo e poucos dias após dávamos alta ao mesmo Resultado ÓTIMO.

N.º 2G - REGISTIZ.0 CLINICO n. 2158. DATA: 20-10-41. J. L'. da S., com 14 anos, branco lavrador, brasileiro, solteiro e residente em Goiatuba no E. de Goiás. Esta observação foi publicada na integra nesta Revista, n.º 2 do corrente ano.

CONSULTA ATUAL: - De treis anos a esta data vem sofrendo d.e obstrução nasal no lado direito e mau cheiro no mesmo. Tinha períodos de remissão e piora. Diagnóstico: Poupo de Kilian e sinusite maxilar direita. Tratamento: Operação de Caldwell-Luc para o lado direito e retirada do polipos. Anestesia -loco-regional habitual. Post-operatório normal. Resultado ÕTIMO.

N.º 27 - REGISTRO CLÍNICO n. 2247. DATA: 28-11-41. C. A. A., com 28 anos, branco, professor, brasileiro, solteiro e residente em Sta. Rita do Paranaíba, Goiás.

CONSULTA ATUAL: - De seis mezes para cá vem sentindo uma forte dor na raiz do nariz, dor esta tão forte, ás vezes, que tem até pensado no suicídio. Diagnóstico: Espessamento do septo ósseo na parte superior, ficando em contato permanente com a parede nasal externa e espessamento dos ossos proprios do nariz. Este diagnostico foi feito apos radiografia. Tratamento: Não víamos outra terapeutica racional senão a que propusemos e foi aceita pelo paciente com felizmente ótimo resultado. Constou da operação de Kilian, e retirada do septo espessado que ficava na parte superior e anterior do mesmo. Anestesia local com cocaína e seurocaina. Após intervenção fizemos o penso em dedo de luva. Post-operatório normal e a dor cedeu logo no dia imediato. Resultado ÓTIMO.

N.º 28 - REGISTRO CLÍNICO n. 2260. DATA: 2-12-41. D. B., com 22 anos, branco, brasileiro, fazendeiro, solteiro e residente em Buriti Alegre. E. de Goiás.

CONSULTA ATUAL: - Ha oito mezes para cá começou a sentir a respiração nasal ruim e a ter uma forte dor de cabeça. Diagnóstico: Desvio do septo para a direita e corneto inferior lado esquerdo muito volumoso. Tratamento: Recessão parcial do corneto inferior esquerdo e no dia 17 fizemos a operação de Killian. Anestesia habitual e usamos o nosso afastador em ambas as intervenções com resultado ÓTIMO.

N.º 29 - REGISTRO CLINICO n. 2284. DATA: 9-12-41. A. F.. com 22 anos, branca, domestica, brasileira, casada, residente na cidade de Tupaciguara. E. de Minas.

CONSULTA ATUAL.: - Ha bem tempo, vem tendo crises bem repetidas de anginas e a respiração, principalmente a noite fica bem ruim. Diagnóstico: Amigdalite cronica e hipertrofia cios cornetos. Tratamento; Amigdalectomia total pelo Sluder e galvano cauterização dos cornetos inferiores de ambos os lados. Usamos nesta ultima o nosso afastador com resultado ÓTIMO.

N.º 30 - REGISTRO CLINICO n. 2328. DATA: 1-1-42. M. I. S., com 22 anos, branca, brasileira, solteira e residente neste município.

CONSULTA ATUAL: - Ha muito tempo colocou no nariz um grão de feijão e de pouco tempo para cá vem sentindo dor e mau cheiro no lado direito do nariz, e pensa que possa ser o referido corpo extranho o causador. Diagnóstico: Sinusite maxilar direita. Tratamento: Operação de Caldwell-Luc no seio doente com anestesia loco-regional costumeira. Usamos o nosso afastador que substituiu o auxiliar. Resultado ÓTIMO.

N.º 31 - REGISTRO CLINICO n. 2398. DATA: 2-2-42. J. T., com 16 anos, branco, comerciário, brasileiro, solteiro e residente nesta cidade.

CONSULTA ATUAL: - Ha bem tempo vem sentindo no lado esquerdo um forte mau cheiro, acompanhado de corrimento neste mesmo lado. Diagnóstico: Sinusite maxilar esquerda, confirmada pelos Raios X. Tratamento: Operação de Caldwell-Luc. Anestesia loco regional com cocaína scurocaina. Auxiliar o nosso afastador, com resultado ÓTIMO.

N.º 32 -REGISTRO CLINICO 11.2424. DATA: 10-2-42. M. R. J. A., com 30 anos, parda, domestica, brasileira, casada. Residência neste município.

CONSULTA ATUAL: - A cerca de uns oito anos vem sentindo uma dor de cabeça, dor esta que tem períodos de piora e melhora. De dois meses a esta data, a mesma ficou constante e tem incomodado muito. Diagnóstico: Sinusite maxilar direita confirmada pela radiografia dos seios. Tratamento: Operação de Caldwell-Luc. Anestesia habitual. Auxiliar substituido por nosso afastador. Post-operatório normal. Resultado ÕTIMO. Nevralgia cedeu.

N.º 33 - REGISTRO CLINICO n. 2473. DATA: 28-2-42. J. C. C, cota 44 anos, branca, brasileira, viúva, domestica e residente em Bom Jesus no E. de Goiás.

CONSULTA ATUAL: - Ha cerca de quinze anos vem sentindo um forte mau cheiro no nariz acompanhado de forte dor de cabeça e corrimento abundante. Diagnóstico: Sinusite maxilar bilateral. Radiografia dos seios veio confirmar o nosso diagnóstico clinico. Tratamento: Sob anestesia loco-regional habitual fizemos a operação de Caldwell-luc em ambos es seis. Auxiliou-nos o nosso afastador automático. Post-operatório normal e sem acidentes. Resultado ÓTIMO.

N.º 34 - REGISTRO CLINICO n. 2515. DATA: 14-3-42. R. R. C., com 14 anos, branco. brasileiro, estudante, solteiro e residente nesta cidade.

CONSULTA ATUAL: - Ha bem tempo que veta sentindo um forte cheiro no nariz. que se acentuou de uns 15 dias a esta data. tem tambem uma purgação no ouvido direito que data de muito tempo. Diagnóstico: Sinusite maxilar esquerda e otite nudia direita. Tratamento: Receitamos, o tratamento para a otite media e fizemos no seio doente a operação de Cardwell-Luc com a anestesia costumeira. l'ost operatorio normal sem Nenhum edema e cone resultado ÓTIMO.

N.º 35 - REGISTRO CLINICO n. 2520. DATA: 16-3-42. G. S. 1., com 22 anos, branco, estudante, brasileiro, solteiro e residente em Morrinhos no E. de Goiás.

CONSULTA ATUAL: - Ha bem tempo que veta sentindo um mau cheiro no nariz e a garganta sempre inflamada. Consultou tambem em São Paulo e aconselharam as intervenções na garganta e no seio. Veio, pois, para se submeter as mesmas. Diagnóstico: Sinusite maxilar direita e amigdalite cronica. Tratamento: Fizemos logo a retirada das amígdalas doentes com o Sluder e no dia 28-5-42, fizemos a operação ele Caldwell-Luc no seio maxilar doente. Anestesia e auxiliar do nosso costume, isto é, anestesia loco-regional cocaína scurocaina e o nosso afastador ,como auxiliar. Post-operatório sena acidentes e com resultado ÓTIMO.

N.º 36 - REGISTRO CLÍNICO u. 2508 - DATA: 28-3-42. J. A., com 28 anos, branco, religioso, holandês, solteiro e residente nesta cidade.

CONSULTA ATUAL: - Vem para que façamos um exame minucioso no nariz pois tem ultimamente sentido uma dor de cabeça e supõe que seja proveniente do mesmo. Diagnóstico: Sinusite maxilar bilateral. Tratamento: Operação de Carldwell-Luc em ambos os seios. Anestesia e auxiliar costumeiro. Post-operatório normal e seus acidente. Resultado ÓTIMO.

N.º 37 - REGISTRO CLINICO n. 2665 - DATA: 6-5-42 - R. G., com 28 anos, branca, brasileira, domestica, casada e residente nesta cidade.

CONSULTA ATUAL: - Ha quinze dias apanhou um resfriado e de treis para cá tem sentido forte dor de cabeça e o nariz fica sempre entupido. Diagnóstico: Sinusite maxilar aguda lado esquerdo e hipertrofia dos cornetos inferiores de ambos os lados. Tratamento: Tratamento medico e aplicações de raios ultra curtos (Endutotermo G. E.) e no dia 9-6-42 fizemos a galvano-cauterisação dos cornetos inferiores de ambos os lados. Anestesia local com cocaína e usamos o nosso afastadores com resultado ÓTIMO.

N.º 38 - REGISTRO CLINICO n. 2702 - DATA: 21-5-42 - S. G. D., com 21 anos, branco, lavrador, brasileiro, solteiro e residente nesta cidade.

CONSULTA ATUAL: Ha dois anos atrás começou a sentir um mau cheiro no nariz e corrimento. Procurou um outro colega que lhe operou de sinusite. Agora está coai a respiração nasal bem dificultosa neste lado da operação e com duas fistulas na boca. Diagnóstico: Hipertrofia exagerada do corneto inferior esquerdo e fistulas (duas) raso-bucal com carie ossea. Tratamento: Recessão parcial do corneto inferior com anestesia local e com o nosso afastador por auxiliar. Tratamento da fistula ainda incompleto. Resultado ÓTIMO.

COMENTAMOS DAS OBSERVAÇÕES

Ao apresentarmos estas nossas observações resumidas, os caros colegas leão de notar que ás vezes, o numero da ficha não coincide cora o de outra da mesma epoca operatoria ; e, por isso, quando é diversa a data colocamos da consulta que motivou a operação praticada com o auxilio de nossos afastadores, logo em seguida, ao titulo CONSULTA ATUAL. E que nos acostumamos fichar sistematicamente e uma só vez o cliente novo, desde a simples consulta até a maior das intervenções que praticarmos no nosso serviço.

Resumimos o mais que pudemos às observações para não amolar muito e assim sendo retiramos a parte referente ao exame, deixando somente o resumo da anamnese, o diagnostico, e a terapeutica, assim mesmo resumida.

Quando dizemos "penso em dedo de luva" nas operações do septo, queremos dizer que, após a intervenção, fazemos o tamponamento de ambos os lados dentro de um dedo de luva, processo este que já usamos, ha varios anos, com os melhores resultados de vez que não incomoda em nada a retirada do penso o que, sem isto, o doente sofreria bem mais do que no proprio ato operatorio e sangraria sempre.

Quando dizemos "domestica" queremos dizer: '.prendas domesticas".

Ao dizermos, o resultado, o fazemos em referencia ao modo como se portou o nosso afastador no ato cirurgico, si bem que as nossas intervenções são quasi todas coroadas de exito pelo fato de só intervirmos em casos que achamos inteira indicação.

Apresentamos este nosso conjunto pela razão de que pensamos que ele vá prestar algum serviço aos colegas de especialidade e por causa do entusiasmo que mostraram os colegas que já o viram. Para deixar de citações enfadonhas, apenas citamos, por achar bem valiosa, a opinião do Prof. ILDEU DUARTE que, ao lhe mostrarmos o nosso conjunto, nos disse para escrevermos sobre o mesmo. Na ocasião que lhe mostramos este conjunto ele interessou-se por vê-lo funcionar, o que não nos foi possivel fazer pois que já estávamos com viagem marcada e somente á vespera ,de embarcarmos, é que o procuramos dada a informação errônea Ide que o mesmo se achava no Rio.

Está, pois, lançado mais este novo conjunto de afastadores. Aos colegas que se interessarem por ele aqui estamos ás ordens para mandarmos construi-lo ou para darmos quaisquer outras informações. Desejando que se dê o nosso nome a este conjunto, é só e exclusivamente o que pretendemos dele, embora já nos tenham aconselhado a tirar patente; achamos, porem, que a melhor patente é a possibilidade de sermos util em alguma coisa, como já disse IAN HAY. -"Se você ou eu, pudermos finalmente dar ao inundo um único volume, linha ou pensamento que permita aos nossos irmãos homens e mulheres gozar a vida tini pouco mais intensamente, ou suporta-la um pouco mais facilmente, então não teremos trabalhado totalmente em vão".




Recebido pela Redação em 20-7-42.
(1) Chefe da clinica Ofalmologica e Oto-rino-laringológica do Hospital Municipal de Uberlandia - Estado de Minas Gerais
Indexações: MEDLINE, Exerpta Medica, Lilacs (Index Medicus Latinoamericano), SciELO (Scientific Electronic Library Online)
Classificação CAPES: Qualis Nacional A, Qualis Internacional C


Imprimir:
Todos os direitos reservados 1933 / 2024 © Revista Brasileira de Otorrinolaringologia