ISSN 1806-9312  
Quarta, 29 de Maio de 2024
Listagem dos arquivos selecionados para impressão:
Imprimir:
556 - Vol. 5 / Edição 1 / Período: Janeiro - Fevereiro de 1937
Seção: Várias Páginas: 117 a 122
VARIAS
Autor(es):
-

ÉCOS DO III.º CONGRESSO INTERNACIONAL DE O. R. L. DE BERLIM DISCURSO PRONUNCIADO PELA Dra. LILI LAGES, REPRESENTANTE OFICIAL DO BRASIL.

Acaba de regressar da Alemanha, onde representou oficialmente o nosso país no III.º Congresso Internacional de O. R. L., realizado em Agosto ultimo, em Berlim, a nossa ilustre colega, Dra. Lili Lages, de Maceió.

Pelos seus predicados de inteligência e de saber, soube a nossa distinta patrícia impor-se, com raro brilho, entre os inúmeros congressistas que compareceram ao grande certame, tendo recebido dos grandes mestres as maiores provas de consideração.

Com prazer publicamos, abaixo, o discurso por ela pronunciado em Berlim, no dia 14 de Setembro de 1936 e que foi retransmitido pelo Departamento de Propaganda, na "Hora do Brasil", no qual ela descreve, com emoção e entusiasmo tudo quanto viu e observou, não só nas pugnas esportivas das Olimpíadas, como também nas cientificas do Congresso.

Exmo. Sr. Dr. Getulio Vargas - D.D. Presidente da Republica; exmo.sr. Ministro das Relações Exteriores - Dr. Macedo Soares-3; colegas caríssimos do Brasil:

- O valor do que recebemos, sem muitas vezes merecer, melhor se aquilata quando, de perto, a dádiva nos extasia, em toda sua plenitude e grandeza.

Nesta Alemanha formosíssima, presenteada com surpresas e contentamentos ininterruptos, bem pudemos avaliar a honra imensa da missão que o Exmo. Snr. Presidente da Republica nos conferiu. E, de certo, nenhum incentivo maior para que nos não fraquejassem as energias nas lutas pelo engrandecer do nosso Pais, do que a reconhecimento profundo, mais intenso agora, em que a visão da realidade, sobremodo, nos sensibiliza.
As alegrias, aqui sentidas mesmo gozadas em instantes, deram-nos a sensação de séculos, na -intensidade com que nos souberam deliciar o coração e o espírito.
Como todos os imprevistos, esta viagem magnífica parece-nos, antes, a concretização de um sonho longínquo, que, de tão maravilhoso, nos ofuscou a lembrança, deixando-nos, apenas, o travo de uma saudade inconsciente, imprecisa...

E, em verdade, Berlim, nos últimos meses, passou por uma fase de deslumbramento indescritível.
Que imagem mais empolgante do que aquela multidão imensa, fusão de todas as nacionalidades, a comprimir-se nas ruas, nos parques, nas casas de diversões, nos campos desportivos, ávida de sensações novas e bem estar.

Os olhos claros da elegante européia, os vivazes da linda brasileira, os oblíquos da mimosa japonesa, a mesma curiosidade iluminava. E, no vastíssimo estádio atlético, aquela mocidade resplandecente de viço e beleza, a exibir-se na peleja das competições, enquanto ao redor, os espectadores se confundiam em uma massa amorfa, acinzentada, a fremir de entusiasmo ante o ritmo dos músculos jovens e vigorosos. O facho olímpico é bem um símbolo... Que o seja, sempre, da solidariedade e da paz!

Depois, no "Grande Concerto Militar", em que milhares de soldados marchavam na imponente arena olímpica, envolta, então na escuridão da noite. Assinalados, apenas, pela tocha ardente que traziam á mão, davam-nos, no conjunto, a impressão de uma enorme serpente de fogo, a pirogravar no espaço curvas rápidas e expressivas.

Nenhuma emoção mais forte, mais bela! No momento de inquietação porque passa o universo, aquele espetáculo fazia-nos estremecer, invadida a alma por um misto de suposições incordenadas, indefiníveis...

- Mais tarde, o torneio mais lindo: a pugna do espírito.

O III.° Congresso Internacional de O. R. L. foi a mais brilhante apresentação de talento, cultura e capacidade de trabalho.

Representantes de 44 nações, as notabilidades maiores do grande mundo otorrinolaringológico, aqui se reuniram para a mais eficiente divulgação do resultado de quatro anos de meditação e realizações praticas.

No majestoso anfiteatro da "Langenbock-Virchow-Hauses", realizavam-se, durante as horas da manhã, conferencias magistrais, acompanhadas quase todas de magnífica ilustração cinematográfica.

Dos temas oficiais do Congresso: "Tumores malignos" - "Terapêutica da Surdez" - e "Influência do estado constitucional em O. R. L." -, o ultimo foi o que melhor impressão nos causou.

Nas estatísticas de quase todos os especialistas, a sobrevivência ao infeliz canceroso, após o êxito terapêutico, vimos não exceder, lastimavelmente a dez anos. Nenhuma nova descoberta. A preferência pelo tratamento médico é, porem, evidente. Hautout, do Instituto Curie, de Paris, conseguiu em 25% dos casos de câncer da laringe, cura completa, tão somente pela radioterapia. Maisin, com trinta anos de observação é de igual parecer. Foi incisiva a afirmação de Schinz, de Zurich, de só usar da cirurgia quando há comprometimento da cartilagem.



3.º CONGRESSO INTERNACIONAL DE O. R. L. - Berlim - VIII-36
Sentados, da esquerda para a direita, Prof. Belinoff (Bulgaria), Dr. Racoveano (Bukarest), Lasagna (Parma), Prof. Ramadier. De pé, lª. fila, Prof. Denker (no centro), tendo á esquerda a representante do Brasil e na direita, Dr. Vasiliu (Bukarest), No 3ª. fila, Prof. Segura (no centro) tendo á esquerda o Prof. Von Eicken (Presidente do Congresso), Á esquerda deste, o Prof. Lemaitre. Atraz do Prof. Segura, Prof. Vogel (Secretario do Congresso), tendo a esquerda o Dr. Barth (Assistente do Prof. Von Eicken) e, á direita, o Dr. Ahmed EI Sayed (representante do Egypto). Veem-se ainda o Prof. Lange (vice-presidente), Chevalier Jackson Filho, Prof. Wildenberg, Prof. Laskiewicz (Polonia), Mohamad Ali Nekmat (representante da Persia) Prof. Claus, Von Gyergyay, Tetu, Barthelmé e muitos outros.



3.º CONGRESSO INTERNACIONAL DE O. R. L. - Berlim - VIII-36
Na quarta fila, a representante do Brasil, tendo a direita, Proetz. Á direita deste CHevalier Jackson Filho. Na terceira fila, Professor Alonso e Regules. Tato (Buenos Aires), Sntoro (Montevidéo) - (segunda fila). Na primeira, Prof. Lange (vice-presidente), Claus, Marschik.



Com referencia á surdez, animadoras perspectivas se nos apresentam. Apontam-nas Sourdille, fervoroso crente do seu método operatório no Otoesclerose, e Holmgren, que o acompanha com apostólico entusiasmo. Escutamos, religiosamente, ambos. Difere a técnica de um da do outro, quanto á via do acesso ao labirinto - respectivamente, enfio-timpanica e endomastoidéa.

O otologista de Stockolmo apresentou-nos, em pessoa, doentes submetidos á sua intervenção, em alguns dos quais o resultado mostrou-se realmente surpreendente.

O problema da Constituição foi, entretanto, repetimos, o tema palpitante do Congresso.
Albrecht trouxe-nos farto cabedal ao assunto.

Van Gilson, espírito admirável de verdadeiro cientista, enclausurado meses inteiros no silencio dos laboratórios, interessantíssimos estudos procedeu em algumas espécies animais, principalmente em ratos, com referencia ás correlações constitucionais na surdez hereditária.

Do mesmo modo, Scwartz e Albanus ocuparam-se do assunto, encarando alterações das mucosas das vias aéreas superiores.

Ainda, Laskiewcz, Gorny, Gutzmann e tantos outros.

Sem esquecermos a parte cientifica geral, não menos importante, em que tivemos a feliz oportunidade de melhor conhecer e admirar Ramadier, Bourgeois, Claus, Krespuska, Dobranzski, Bayer, Seiffert, Claoué, Schmidt, Ducuing, Bouchet, Le Mée, Tondorf, von Gyergyay, Lasagna e inúmeros mais.

Negus, de Londres, evidenciou-se um investigador de grande mérito. Visitante assíduo dos jardins zoológicos, possue uma farta documentação atinente á anatomia comparada da laringe. Do pequenino canário no monstruoso hipopótamo, estendeu suas valiosas pesquisas.

Chevalier Jackson Filho, na bronco-esofagoscopía, um condigno continuado das glorias paternas.
Igualmente, neste ramo da especialidade, Soulas, com um riquíssimo campo de observação, sobresaiu-se como técnico impecável.

A questão da vertigem auricular parece solucionada com a exposição convincente de Ombrédanne. Ele e Aubry insistem e proclamam as excelências da secção intracraniana, parcial ou total, do nervo auditivo.

O rinoscleroma mereceu, apenas minucioso estudo do Prof. Bellinof, da Bulgária.

A ozena preocupou a alguns mais, não passando, todavia de quatro os trabalhos apresentados. - Amersbach, com uma estatística de 400 casos, no período de 20 anos, nada trouxe de novo quanto á etiologia e terapêutica, concluindo pela sua incurabilidade.

Disse Vahldieck, de Erfurt, ter obtido excelente êxito com a prescrição de Vigantol e Gynergene. Aliás, a originalidade do método consiste, apenas, no emprego associado das duas especialidades farmacêuticas. Vasiliu, da România, secretario geral do Comitê Permanente para o estudo daquela afecção, declarou nada ter a acrescentar, com referencia.

a terapêutica, ao relatório de Lerou e Constiniu, publicado ha quatro anos. Empresta, porem, quanto á patogenia, grande importância á respiração anárquica sobre a evolução do mal. Observações foram relatadas, em que, pela supressão da respiração nasal, melhoria notável não se fez esperar. Segundo seu parecer, restam-nos, apenas aperfeiçoar o preconizado método de obstrução nasal e a aplicação tópica de raios ultra. Violetas, de acordo com um processo pessoal.

Encantou-nos, deveras, o grande Fowler com a "filmagem" de sua técnica para amigdalectomia. Deteve-se, porem, nos conhecimentos anatomo-cirurgicos por ele já apontados no livro "Tonsil Surgery", seara trazer-nos nada de inédito.

- Sejam, agora, citados os grandes amigos do nosso Brasil: Segura, Lemaitre, Proetz. Este, em plena mocidade, surpreendeu-nos com a sua arguta observação e extraordinário espírito inventivo. Oferecendo-lhe os nossos trabalhos e satisfeito se mostrou por estarmos em dia com as investigações norte-americanas.

Interessou-se, sobretudo, pelas preparações anátomo-patológicas e pelos pontos atinentes aos cílios vibráteis das cavidades perinasais - observações que efetuamos no Laboratório Leôncio Pinto, na gloriosa Faculdade de Medicina da Bahia.
Segura, o eminente Professor argentino, é um fervoroso admirador da nossa terra e do nosso povo. Estou certa de que o melhor amigo no importante certamente se me tornou, menos pelo pouco valor que lhe revelei, do que pelo entusiasmo imenso que a nossa metrópole lhe soube inspirar.

Uma das figuras mais impressionantes do Congresso foi, sem duvida, o Prof. Lemaitre, da Universidade de Paris. Poderia, assim, traçar-lhe: cérebro, cultura, e coração! No rosto sereno, ornado por longas barbas, paira, sempre, um amável sorriso. Os olhos pequeninos, agudos, parecem, fitando-nos, captar-nos os pensamentos.
Acessível como um verdadeiro sábio.

Quando descíamos da tribuna no luxuoso do banquete oferecido pelo Governo do País aos Congressistas - toa o seu abraço primeiro que nos confortou, acompanhado dessa exteriorização de suprema bondade: "Al Brasil toút est grandieuxi"

Assim, Quix, o notável otologista holandês, que com honrosas homenagens nos distinguiu.

Como Sigismundo Graff, de Hamburgo, que no Hospital Barmbeck, nos dedicou horas inteiras, na demonstração de suas pesquisas valiosíssimas, relacionadas com o problema do câncer, da tuberculose, e da linfogranulomatóse no domínio das vias aéreas superiores. Não só nos pôs a par do seu método pessoal de preparação de peças anatômica, como revelações inéditas sobre os aludidos tênias nos fez.

Também, o nome de Sir Saint Clair Thomson, a maior gloria da O. R. L. londrina, não podemos silenciar, Alegre, comunicativo, encantadoramente vivaz, a despeito de seus 7 decênios, lembra-nos o gênio teuto: Goethe. Sob a neve dos seus cabelos, arde, ainda, a chama de um grande cérebro... Sob as cinzas dos anos vividos, brilha, ainda, a brasa do coração...

Sir Clair Thomson, como orador oficial no jantar oferecido pelo Ministro Frick, teve frases de adolescente, como esta: "Our eyes have met, our lips not yet... We wait..."

Por ultimo, citemos Vogel, o secretario do Congresso, de assombrosa capacidade de realização e trabalho, e o Prof. Von Eiclcen, o emérito presidente. A ambos devemos o êxito incontestável do memorável certamente - Alem da parte cientifica, teve o Congresso Internacional de O. 12. L. uma notável repercussão social. Dos passeios magníficos que nos prepararam, partilhavam as famílias dos Congressistas e elementos de representação, convidados. As tardes eram, assim, preenchidas num ambiente da mais cativante cordialidade. De todas as excursões belíssimas que realizamos, sobresaiu-se inesquecida a Potsdam.

(Potsdam maravilhoso sonho acordado) Ali, nada nos falta á delicia do espírito. Sua imponente beleza, seus suntuosos castelos, seus parques verdejantes e imensos, salpicados de elegantíssimos repuxos e fontes - tudo a recordar o país encantado de um lindo conto de Perraultl.

E, o passeio a Wansee, onde á margem do lago sereno. de um encanto sem par, os olhos saciados da tumultuosa vida moderna, (se suavizam no mais deslumbrante dos panoramas)

Ainda, depois, o concerto magnífico no castelo Monbijou, onde á penumbra da sala imensa, o silencio era, apenas, entrecortado pelo gargalhar de um símbolo, pelos soluços de um cravo, pelos gemidos dos violinos...

As notas arrancadas da flauta de Frederico 11 nos reviveram uma historia, uma geração...

Quando as chamas irrequietas das velas se refletiam no cristal puríssimo dos candelabros, parecia-nos surgir àquelas figuras de alvas cabeleiras, delicadas, sentimentais, românticas... Monbijou foi, de certo, um ambiente de poesia, musica, (amor) um lenço de rendas ao chão... Uma mão pálida e esguia que o apanha... Um leque que acena... Duas almas que se confundem ao som suavissimo de um minueto...

- Orgulhosa, satisfeita - afirmamos -, Brasil querido, as mais altas honrarias te foram concedidas.

Rompeste o pragmatismo até agora existente com a inclusão de uma mulher no Comitê Internacional de O. R. L. A Alemanha recebeu - o que nos desvanece com carinho as tuas escolha. Sucessivas demonstrações de apreço nos proporcionaram, desde aquele dia inesquecida, em que nos coube presidir a sessão do Congresso até a noite deslumbrante do banquete oferecido pelo Governo do País, em que, apenas 12 nações e o celebre cirurgião Sauerbruch discursaram e o nosso nome foi pelo Presidente aclamado. No rumor dos generosos aplausos, subimos, sensibilizada, á tribuna, levando dentro da alma - Brasil querido - o anseio imenso de elevar-te, engrandecer-te!
Naquela hora - sublimes minutos - evocamos a tua grandeza, o talento pujante de teus filhos, aqui exuberantemente representado na figura inconfundível do nosso Embaixador - S. Excia. Muniz de Aragão.

Evocamos, a cultura dos colegas brilhantismos de especialidade: Eduardo de Moraes, a quem devo minha iniciação cientifica, Mangabeira Albernaz, David Sanson, Homero Cordeiro, Mario Ottoni, João Marinho, Ildeu Duarte, José Kós, Estevam Rezende, Paula Santos, Antonio Azevedo, Octacilio Lopes, Afonso Bovero, José Julio Cansanção, Oceano Carleaial, Guedes de Melo, Rebelo Neto, Osvando Lange, Edgard, Theofilo, Pedro Falcão, Paulo Brandão, Carlos Moraes, Francisco Hartung, Roberto Oliva, Cesario de Andrade, Aristides Monteiro, Gabriel Porto, Renato Machado, Silvio Caldas, Andrade Medicis, Paulo Sáes, Arthur de Sã, Edgard Gouveia, Castro Lima, Lauro Sodré e tantos outros - do sul ao norte - representantes admiráveis da O. R. L. brasileira!

A todos - asseguramos - constituiu nas discussões nossa preocupação primeira dar-lhes aos trabalhos o realce divido.
- Neste instante, exmo.sr.dr. Getulio Vargas, colegas caríssimos, em que a missão se nos apresenta cumprida, a visão retrospectiva, na memória indelevelmente guardada, mostra-nos "fomos por uma tempestade de responsabilidade arremessada ao heróico espetáculo do mundo" cientifico!

O doirado fio dos destinos, de que nos fala Stephan Zweig, esteve em nossas mãos...

Que o tenhamos sabido reter, naquele momento estelar de nossa vida, miraculosamente transfigurados os nossos méritos pelo zelo do nome, pelo orgulho das glorias, pela fecunda e entusiástica certeza do valor do nosso incomparável Brasil.

Felicitamos calorosamente a Dra. Lili Lages, pelo brilho que soube dar á Otorrinolaringologia brasileira num dos maiores centros científicos do Mundo, e ao mesmo tempo agradecemos.

a propaganda eficaz que fez desta "Revista", tornando-a conhecida da maioria dos congressistas, propaganda essa que revelou os progressos científicos alcançados pelo nosso caro Brasil.

Devemos também á gentileza da Dra. Lili Lages, as fotografias que publicamos neste numero.
Indexações: MEDLINE, Exerpta Medica, Lilacs (Index Medicus Latinoamericano), SciELO (Scientific Electronic Library Online)
Classificação CAPES: Qualis Nacional A, Qualis Internacional C


Imprimir:
Todos os direitos reservados 1933 / 2024 © Revista Brasileira de Otorrinolaringologia