ISSN 1806-9312  
Sexta, 24 de Maio de 2024
Listagem dos arquivos selecionados para impressão:
Imprimir:
1984 - Vol. 42 / Edição 2 / Período: Maio - Agosto de 1976
Seção: Artigos Originais Páginas: 104 a 111
CISTO NASO-ALVEOLAR - NASOALVEOLAR CYSTS. REPORT OF FOUR CASES
Autor(es):
* Lidio Granato
** Ana Maria Carbonelli Bichara

Resumo: São apresentados 4 casos de cisto naso-alveolar, com considerações a respeito do quadro clínico, evolução, tratamento, etiologia e diagnóstico diferencial. Os cistos naso-alveolares incidem em adultos, com predominância do sexo feminino. A evolução geralmente é lenta, e o tratamento cirúrgico, exerese, determina a cura. Os doentes procuram tratamento por motivos estéticos e não clínicos ou funcionais. Quanto à patogenia, na opinião dos autores, trata-se de cisto congênito, de origem fissural, derivado de restos embrionários nas placas de fusão dos processos maxilar, nasal-lateral e nasal-medial. O diagnóstico diferencial deve ser feito principalmente com os cistos desta região, de origem odontogênica ou não odontogênicos como os do ducto naso-palatino e globulo-maxilar.

São apresentados 4 casos de cisto naso-alveolar, com considerações a respeito do quadro clínico, evolução, tratamento, etiologia e diagnóstico diferencial. Os cistos naso-alveolares incidem em adultos, com predominância do sexo feminino. A evolução geralmente é lenta, e o tratamento cirúrgico, exerese, determina a cura. Os doentes procuram tratamento por motivos estéticos e não clínicos ou funcionais.

Quanto à patogenia, na opinião dos autores, trata-se de cisto congênito, de origem fissural, derivado de restos embrionários nas placas de fusão dos processos maxilar, nasal-lateral e nasal-medial. O diagnóstico diferencial deve ser feito principalmente com os cistos desta região, de origem odontogênica ou não odontogênicos como os do ducto naso-palatino e globulo-maxilar.
Indexações: MEDLINE, Exerpta Medica, Lilacs (Index Medicus Latinoamericano), SciELO (Scientific Electronic Library Online)
Classificação CAPES: Qualis Nacional A, Qualis Internacional C


Imprimir:
Todos os direitos reservados 1933 / 2024 © Revista Brasileira de Otorrinolaringologia