ISSN 1806-9312  
Quarta, 29 de Maio de 2024
Listagem dos arquivos selecionados para impressão:
Imprimir:
1558 - Vol. 50 / Edição 4 / Período: Outubro - Dezembro de 1984
Seção: Editorial Páginas: 03 a 04
Editorial
Autor(es):
RUDOLF LANG

Durante o último Congresso Brasileiro de ORL, na cidade do Rio de Janeiro, por indicação do conselho diretor da SBORL e, após eleição em Assembléia Geral da Sociedade, meu nome foi indicado paia ocupar o cargo de presidente da SBORL.

Honrado com a distinção, recebo o encargo como uma convocação ao trabalho, que por sinal não será tarefa simples. Suceder no biênio 84-86 as dinâmicas administrações de Hélio Hungria, no período 78-80, Ivo Kuhl, no período de 80-82 e Pedro Luiz Mangabeira Albernaz, no período 82-84, requer um esforço para o qual necessito da colaboração da imensa família que compõe o quadro social da SBORL.

Não se ergue uma sociedade contando apenas com o dinamismo de uma diretoria atuante. Acho que uma tesouraria em dia, com recursos suficientes e uma secretaria organizada, são peças-chaves do sucesso. Mas o resultado final dependerá da atuação de todo o quadro social. E é por isso que estou convocando todos ao trabalho.

Recebendo sugestões e críticas por telefone ou correspondência, podemos reunir os elementos para um trabalho eficiente. No meu endereço, na Andradas 1711, 3° andar, 90000 - Porto Alegre, fone 24-1044, prometo que nenhuma carta deixará de ser respondida sobre qualquer assunto dentro da especialidade e de vida societária.

Nosso programa de trabalho terá atuação específica nas seguintes áreas:

1. Valorização do trabalho na especialidade. Neste item se engloba tudo que diz respeito ao exercício profissional e à remuneração para o trabalho médico que está passando por um dos piores momentos de nossa história. Somente uma adequação na relação médico por número de habitantes, com uma esmerada formação ético-profissional, é que poderá pôr um final no aviltamento do trabalho médico. Nos parecem válidos os movimentos em torno de tabelas de preços mínimos e terão todo nosso apoio. Como são atos impositivos, sempre terão problemas quando se defrontarem com as forças do mercado de trabalho.

2. Residências médicas, internatos e cursos de especialização. Esta área específica será um dos principais objetivos de nossa administração. Vamos relacionar inicialmente tudo que existe no território nacional, para após dar os subsídios que ele necessita, não somente no sentido do apriomoramento ético profissional, como na adequação à realidade no mercado de trabalho. Este item é que, a longo prazo, trará as soluções verdadeiras e definitivas para o item anterior.

3. Organização de cursos e reuniões. Juntamente com os vice-presidentes e nosso diretor de cursos, Dr. Roberto Martinho da Rocha, a SBORL pretende promover em todo o território nacional cursos de aperfeiçoamento e extensão universitária, englobados num programa de educação continuada. Todo o colega que pretende organizar um curso, bem como aquele que tem algo para mostrar e ensinar, deve dirigir-se ao diretor de cursos e solicitar sua colaboração. Um maior dinamismo nesta área nos períodos entre congressos e reuniões científicas será de extrema utilidade para manter viva a chama do entusiasmo pela especialidade, que apesar dos maus momentos vividos por todos não pode ser extinta.

4. Reestruturação societária. Quando em 1969 fundamos aqui em Porto Alegre a SBO, houve receios separatistas. Provavelmente foi por uma questão meramente geográfica, já que partiu de um Estado no qual, periodicamente, se exacerbam os pruridos contra a unidade nacional. Queríamos apenas uma sociedade livre e democrática com seus membros votando e podendo ser votados e que com sua contribuição anual dessem recursos para a organização societária. Nos mesmos moldes surgiu em 1978 a SBORL e hoje ambas e, mais recentemente, a Rinologia constituem o sustentáculo da especialidade no Brasil. Falta-nos, no entanto, a Laringologia. Historicamente, a laringe ficou englobada na Laringobroncoesofagologia. Como a broncoscopia, devido a evolução técnica e natural área patológica, está englobada a pneumologia e a esofagoscopia, por idênticas razões a Gastroenterologia ficou a laringe um tanto abandonada, com fortes tendências a ser englobada pela área de cabeça e pescoço, que já tem sociedade formada e se constituindo em departamento da AMB. No entanto, sem formação otorrinolaringológica, o manuseio da laringe é deficiente e urge estruturar a sociedade que, juntamente com a Rinologia e Otologia, vão formar a grande SBORL.

Além do trabalho específico nestas quatro áreas, o restante dependerá do futuro.

Sempre estaremos prontos a dar e receber sugestões que visem o interesse de todos.

Finalizando, quero em nome da SBORL homenagear nosso vice-presidente, Prof. Otacílio Carvalho Lopes Filho, por sua recente eleição para Presidente da Associação Pan-Americana de ORL e BE. Com tudo que foi feito desta nação para desmerecê-la lá fora, não impediu que se reconheçam nossos valores ético¬profissionais. Parabéns de todos nós.

A palavra final quero reservar aos jovens otorrinolaringologistas. Lembrem-se que é importante estar associado a sua entidade de classe que é a SBORL. Lembrem-se que os mais velhos estão aí para orientá-los em todos os sentidos, porque do êxito de vocês depende o futuro da especialidade. Contamos com vocês por um Brasil melhor.
Indexações: MEDLINE, Exerpta Medica, Lilacs (Index Medicus Latinoamericano), SciELO (Scientific Electronic Library Online)
Classificação CAPES: Qualis Nacional A, Qualis Internacional C


Imprimir:
Todos os direitos reservados 1933 / 2024 © Revista Brasileira de Otorrinolaringologia