Versão Inglês

Ano:  1941  Vol. 9   Ed. 1  - Janeiro - Fevereiro - ()

Seção: Progressos da O. R. L.

Páginas: 37 a 46

 

PROGRESSOS DA CIRURGIA PLASTICA DA CABEÇA E DO PESCOÇO ATRAVÉS A BIBLIOGRAFIA DE 1940

Autor(es): DR. J. REBELO NETO (1)

Trabalhos de interesse geral

1 ) Abordando todos os assuntos gerais de interesse para o cirurgião plastico, o livro de Maliniac contem, ainda, um estudo sobre os aspetos legais e ilegais da especialidade, minucias sobre o estado psiquico peculiar ao disformico e conselhos sobre a oportunidade da intervenção ou do abstencionismo.

Zeno e Crespo versam longa e magistralmente sobre a influencia das dismorfias sobre a personalidade, recordando os três itens de Alfledo Adler - o da problematica social ou da convivencia, a amorosa e a da profissão.

2) A anestesia é um assunto sempre na ordem do dia. Ingrabam e Campbell tendo administrado anestesia pela avertina em 7000 crianças aconselham a dóse de 100 mgr. por quilo e uma sonda especial.

3) Varios cirurgiões e biologistas continuam estudando materiais para suturas perdidas. Meade e Ochsner experimentaram o catgut, a seda, o linho e o algodão. O ultimo recebeu a melhor classificação, produzindo a menor reação local e a cicatrização mais precoce.

Face

Traumatismos - A observação de traumatismos faciais torna-se cada vez mais frequentes, merecendo a atenção de varios autores. Kanthak versa sobre as fraturas da apofise zigomatica, baseando-se em 26 observações. Historía os metodos de tratamento antigos e modernos aconselhando orientação intervencionista imediata nos casos recentes. Nos antigos, é indispensavel manter a redução, o que faz ou com tamponamento antral ou por uma alça de arame fixa a um capacete gessado.

Molestias - Tavares e Lima referem um caso de noma, curado após cinco meses de tratamento. Ao par de curativos com arsenobenzóis, pasta de carbonato de bismuto e dakin, estimulantes gerais.

Mostram as estatisticas um numero crescente de doenças malignas em cada decada. New e Hertz fazem um computo estatistico, apontando as fôrmas que comportam prognostico regular, bom e mau, resaltando entre os ultimos os localisados na lingua, palato, amigdala, faringe e laringe, nos jovens.

As fistulas da parotida, as vezes tão tenazes, foram combatidas por Robert Reeves, num caso bilateral, pela aplicação exclusiva de raios X, tendo aplicado 1800 r de cada lado, obtendo cura integral.

A hemiatrofia facial é estudada muito raramente Pelos cirurgiões plasticos. Kazanjian e Sturgis apontam as três fases do tratamento: investigação das condições gerais, tratamento das manifestações locais enquanto a doença progride e da deformidade final. As vias de acesso são minuciosamente descritas, bem como a critica das substancias de enchimento. Inclinam-se pelo material dermico e pela aponevrose.

Região frontal - A osteomielite é extremamente grave, quando não pela invasão do mal em superficie e profundidade, pelos inumeros problemas que a reparação post-cirurgica levanta. Ketel, em 13 casos, teve duas mortes. Incisão alta, de orelha a orelha, rebatendo o retalho anterior e eliminando as partes doentes. Drenagem pelos extremos da incisão.

Kazanjian e Converse preferem a incisão em T invertido acima dos supercilios, sendo a plastica executada com laminas osseas retiradas da tibia, após alguns meses de cura clinica completa.

A mesma prudencia, levam New e Dix a aguardar b meses após a cura da osteomielite e 12 após a do cancer, no minimo, para iniciar a reparação plastica. Preferem a cartilagem conservada, quer simples, quer imersa em mertiolato aquoso ou metafen e refrigerada.

Paralisia facial

Após uma mastoidectomia, Freedman teve um acidente paralitico. Reabriu a ferida operatoria, acompanhando o trajeto do 7.° par. Num ponto encontrou um hematoma compressor. Fendeu a bainha e retirou-o. Seis meses mais tarde comecou a notar a melhora da paralisia nos ramos superiores.

Levando em conta que a sutura ou enxerto do nervo não restaura a expressão emocional, nem defende contra certos tics, Colman propõe-se a executar a anastomose facio-hipoglossal, achando que a hemiatrofia da lingua não traz inconvenientes. O repouso mimico disfarça a paralisia. No meio tempo, ou quando os musculos perderam o estimulo galvanico, efetúa a suspensão subcutanea com tiras aponevroticas.

McCaskey tambem, uma vez provada a inexcitabilidade galvanica, não tenta o Duel e inicia de pronto a suspensão aponevrotica.

As maiores probabilidades de exito, pertencem, pois, aos tratamento precoces, preferindo Collier o enxerto.

Martin segue orientação ecletica e, conforme o caso, ou pratica o enxerto ou a simples anastomose. Com a cooperação do doente e reeducação paciente, conseguem-se resultados animadores, conforme os seus 18 casos.

Num caso de paralisia congenita, Eliseht promoveu a suspensão comissural por uma peça protetica e exercicios musculares apropriados.

Essa suspensão pode ser feita como quer Brunner a custa das fibras do masseter, por via endoral, combinada com uma alça, passando pelo labio e presa ao rebordo do orificio piriforme.

Nariz

A restauração dos defeitos leproticos é dificil, não só pela sua gravidade e extensão como pela fraca vitalidade dos tecidos. Prudente refere o resultado obtido no leprosario de Santo Angelo, quer corrigindo pequenas selas com cartilagem ou marfim, quer efetuando trabalhos de maior vulto, verdadeiras rinoplastias totais.

Stefani relata uma observação de deformidade congenita rara, associada a labio leporino, tendo obtido bom resultado estetico graças ao tratamento cirurgico.

Ivanissevich e Ferrari visualisam, após 20 anos, o resultado da operação que idealisaram, para reconstituir o lobulo por meia do enxerto, a italiana, de um fragmento da orelha.

A questão do relevo artificial do nariz está sempre na ordem do dia. Malbec descreve correção do nariz em sela pelo duraluminio, Harbert pela cartilagem auricular, Goldman pelo aproveitamento septal, preferindo Wolf recorrer ao proprio material do nariz.

Flores inicia no Perú a publicação vulgarisadora de cirurgia plastica nasal, nos dando fotografias de alguns operados, o mesmo fazendo Pedemonte no Uruguai.

As perdas de substancia são preenchidas pelo metodo de Wolfe, podendo-se emprega-lo, segundo Rivas, em crianças de menos de ano.

Os desvios laterais da Piramide necessitam, as vezes, após a mobilisacão da piramide, da colocação de um aparelho corretor montado, consoante a sugestão de Brown, em uma corôa gessada.

Sarnoff, ao envez de retirar um fragmento da apofise montante, obtem o alinhamento correto do nariz por uma resecção ao nivel da sua aresta.

Os osteomas nasais, que terminam acarretando graves deformações externas, são estudados por Handousa, no Egito e por Simpson e Williams.

As fistulas congenitas do dorso nasal serviram de assunto para um trabalho de Falcão. Operou uma menina de seis anos, sendo necessario ressecar parcialmente os ossos proprios.

Condição indispensavel para um diz Thevenin, é atender á vascularisação to desta noção pode apagar totalmente te bom de uma intervenção.

As correções do lobulo estão muito bem documentadas no escrito de Converse, descrevendo duas maneiras de abordar as suas cartilagens: por via superior, subcutanea, ou inferior, sub-mucosa.

O desvio lateral da cartilagem do septo não necessita ressecção mas, apenas (Harbert) descolamento e tamponamento ortopedico.

Aubone descreve uma nova tecnica para corrigir as perfurações do septo, a custa de um retalho muco-condral do proprio septo.

As funções nasais, diz Cinelli, podem ser alteradas devido a vicios de conformação das narinas. Descreve uma nova técnica destinada a dar maior resistencia às azas.

Em casos desse genero, a cirurgia deve ser secundada pela colocação de um curativo especial, que Aufricht constróe com godiva e esparadrapo.

Pearlman e Cinelli descrevem alguns instrumentos novos afim de facilitar as operações plasticas nasais.

Atresia das coavas

Monteiro descreve três casos, todos curados. Num deles foi necessario repetir a operação por três vezes, devido a tendencia ao fechamento.

Pereira relata um caso, obtendo orificio permanente, observado após um ano. A destruição do diafragma osseo foi feita com escopro e martelo.

O caso de Moura foi como nos anteriores, unilateral, tendo seguido a mesma orientação do precedente. A revisão tardia foi favoravel.

Na observação de Mangiaracina a atresia era bilateral e fibrosa, que o A. pensou ser congenita. A destruição foi feita durante a resecção submucosa do septo.

Tem sido registrada a associação da atresia coanal á deformidade facial, como na doente de Morgenstern. Mostra-se entusiasmado pelo sucesso obtido com a electrocoagulação.

Boca

Os defeitos congenitos da boca originaram varios trabalhos dignos de estudo. Brown preocupa-se em constituir uma valvula naso-faringeana suficiente, pelo recuo do revestimento mucoso da abobada em um ou mais tempos. E indispensavel a reeducacão fonetica.

Davis aconselha operar do terceiro dia de vida em diante e seguir, na plastica do labio os metodos simples como o Thompson.

A precocidade em iniciar o tratamento forma uma corrente cada vez mais caudalosa. Roy assim faz, citando 15 casos com excelente resultado.

Shearer atribue a causa das dismorfias congenitas a dois fatores: o predisponente, hereditario e o excitante,de natureza mecanica, a aplicação de força ao embrião.

As fistulas congenitas do labio inferior nem sempre são simetricas. No caso de Mason, Anson e Beaton, havia ainda a circunstancia de haver formas identicas em varias pessoas da familia.

Doherty reune cem casos de fratura da mandibula, preferindo fixa-Ias pelo metodo basico de Gilmer ou, havendo desvio, pela tração com elasticos preconisada por Kazanjian.

A extirpação dos tumores da mandibula acarreta, por vezes, a interrupção da sua continuidade, sendo necessario recorrer a enxertos. Zeno e Peluffo se socorrem das costelas, acentuando ser indispensavel imobilisação perfeita. Ganzer, que obteve 96% de sucesso em 304 enxertos osseos da mandibula, atribue essa alta porcentagem a uma asepsia rigorosissima. A documentação radiografica que ilustra o seu trabalho é rica de ensinamentos uteis.

As deformações da mandibula, se refletindo no perfil são corrigidas por Smith e Johnson pela elevação do mento com cartilagem costal ou, nos casos mais acentuados, pela osteotomia do maxilar inferior.

Olhos

A ptose palpebral, segundo Kirby póde ser corrigida conforme o seu grau. Nas formas ligeiras, resecção do tarso e plastica muscular, condenando recorrer á ação vicariante do musculo frontal.

Rosenburg, porem, adota a fixação a este musculo, por meio de finas tiras de aponevrose.

Para reparar as palpebras, Zeno aconselha os enxertos livre de pele total e imobilisação com aparelho gessado.

O forro das néo cavidades é provido por DeRotth por meio das membranas fetais, obtidas asepticamente em cesareas. O mesmo material é excelente para evitar novas aderencias conjuntivaes.

Dois casos acidentais de parafinoma foram produzidos - um (Blair e Byars) ao tentar injetar oleo de vaselina no canal lacrimal; o outro, (Otty) injetado no soalho da orbita, durante lavagem do antro. Em ambos houve a formação de parafinomas.

A cavidade resultante da exenteração da orbita, de efeito estetico desastroso, é corrigida por Hagedoorn mediante varias intervenções tendentes a encher a cavidade por meio de enxertos de aponevrose e tecido adiposo, terminando pela operação de Esser-Wheeler destinada a manter a protese final.

Orelhas

As orelhas descoladas, ou "cabanas" são estudadas por Fernandez o qual reseca em separado a porção cartilaginosa da concha e depois a da fossa navicular, respeitando a que forma a anthelix, reduzindo a sua longitude com uma pequena resecção em cunha, e por New e Erich o qual propõem a eversão da sutura cartilaginosa, afim de melhor garantir o resultado.

O defeito congenito caracterisado pelo encarceramento subcutaneo da extremidade dos dois pavilhões foi descrito por Yamanaka, tendo obtido bom resultado com o processo de Kubo.

As fistulas retroauriculares nem sempre são faceis de obliterar. Constantemente novos processos vêm demonstrar a insuficiencia dos metodos correntes. O'Brien propõe mobilisar um retalho a custa do musculo temporal e Voorthuysen traça uma serie de retalhos de pele na margem anterior do retalho, para cobrir o orificio fistular.

A otoplastia total continúa a desafiar a argucia e engenho dos especialistas. Kirkham pretende utilisar a cartilagem formolisada, com a qual se tem dado muito bem, só registrando uma eliminação por infecção.

Camp e Allen propõem uma posição especial destinada a pôr em destaque a presença ou não do conduto auditivo externo. Isso é importante porque é sabido que a microtia é, em geral, acompanhada de defeitos do ouvido interno. Se esses não existirem, deve-se tentar eliminar a atresia do conduto, afim de melhorar a audição.

Pescoço

As fistulas do tireo-glosso, segundo a experiencia de Pemberton e Stalker, calcada em 193 casos cirurgicos, devem ser extirpadas radicalmente pelo processo de Sistrunk, hoje geralmente aceito.

Esofago

Gouvêa, em um caso de estenose incuravel do esofago, praticou a esofago-dermato-jejuno-gastrostomia de Roux-Lexer, com pleno exito, após dois anos de trabalhos. O resultado se mantem bom ha 7 anos.
Noehren já foi menos feliz, conseguindo fazer a gastrostomia e a esofagostomia, conexando as duas bocas por meio de um tubo de borracha.

Laringe

Cinelli estuda a atresia em varios pontos das vias aereas superiores - narinas, coanas, nasofaringe. Esta é corrigida por meio de descolamento das cicatrizes e manutenção da luz por meio de tubo permanente de borracha.

Figi em dois trabalhos preconisa a dilatação progressiva com velas dilatadoras de esponja de borracha. As cronicas são eliminadas por meio de laringofissura, excisão das cicatrizes, afilamento das cartilagens, seguidas de enxerto cutaneo.

Na atresia do nasofaringe, Goodyear pratica uma incisão transversa na parede do faringe, abrindo comunicação com as fossas nasais, mantendo depois, com longa permanencia, um tubo de borracha.


MALINIAC, J. - Cirurgia Plástica y Estética - Salvat Edit. Barcel. e B. Aires. 1940.
ZENO, L. e CRESPO, E. P. - Cirurgia plastica y psicologia - An. Cir. Rosario 6: 1: e Sem. Med. 47: 231.
INGRABAM, F. D. e CAMPBELL, J. B. - A new catheter for administration of avertin anesthesia to infante and children. Ann. Surg. 111: 501.
MEADE, W. H. e OCHSNER, A. - The relativa value of catgut, silk, fine and cotton as suture material - Surgery 7:485.
KANTHAK, F. F. - Fractures of the zygomatic bone. Surgery 7:796.
TAVARES, J. e LIMA, G. - Noma da face, curado. Arq. 1.o Cong. O.R.L. 3:229.
NEW, G. B. e HERTZ, C. - Malignant disease of the face, mouth, pharynx and larynx in the first three decades of life. Surg. Gyn. Obst. 70:163.
REEVES, R. J. - Roentgen therapy of bilateral parotid fistula. Arn. J. Roentgen. 43:425.
KAZANJIAN, V. H. e STURGIS, S. H. - The surgical treatment of hemiatrophy of the face. J.A.M.A. 115:348.
KETTEL, K. - Osteomyelitis of the frontal bone. Surgical treatment: which way of approach is the best? Arch. Otolaryngol. 31:622.
KAZANJIAN, V. H. e CONVERSE, J. M. --- Reconstructions after radical operation for osteomyelites of the frontal bone: experiente in 18 cases. Arch. Otolaryngol. 31:94.
NEW, G. B. e DIX, C. - The repair of defects of the frontal bone. Surg. Gyn. Obst. 70: 698.
FREEDMAN, A. O. - Hematoma of the facial nerve following simple mastoidectomy; decompression of the facial nerve whith gradual recovery of functions. Arch. Otolaryngol. 32: 589.
COLEMAN, C. C. - Results of facio-hypoglossal anastomosis in the treatment of facial paralysis. Ann. Surg. 111: 958.
McKASKEY, C. H. - The etiology and treatment of seventh nerve paralysis Ann. Otol. Rhinol. & Laryngol. 49: 199.
COLLIER, J. - Facial paralysis and its operative treatment. Lancet 11: 91
MARTIN, R. C. - Recent experientes with operation on the facial nerve. Arch. Otolaryngol. 32: 1071.
ELISEHT, F. C. - Paralisis facial congenita verdadera. Rev. Arg. O.R.L. 9: 85.
BRUNNER, H. -- Surgical repair of facial paralysis. Arch. Otolaryngol. 31: 873 e Ann. Otol. Rhinol dc Laryngol. 49: 564.
PRUDENTE, A. - La correction chirurgicale des defformitées nasales occasionées par la lèpre. Presse Méd. 48: 156.
STEFANI, F. - Considerazioni su di un caso di malformazione congenita rara delia faceia: labbro leporino mediano con dissociazione senza deformazione delle doe meta della parte mobile del vaso (naso doppio) Plasti Chir. 1: 162.
1VANISSEVICH, O. e FERRARI, R. C. - Rhinoplasty. Argentine method. Surg. Gyn. Obst. 71: 187.
MALBEC, £. F. - El duraluminium en cirurgia plastica. Acion. Med. 10: 687
HARBERT, F. - Correction of saddleback deformities of the nose by specially cut cartilage from the ear. Arch. Otolaryngol. 31: 339.
GOLDMAN, L. B. -- Prevention and correction of dorsal depressions by septal implants. Arch. Otolaryngal. 32: 524.
WOLFE, M. M. - The partial saddle nose: a simplified technique without the use of implant or transplant. Ann. Otol. Rhinol. & Laryngol. 49: 700.
FLORES, A. - Cirurgía plástica de la nariz-Ref. Med. 26: 794.
PEDEMONTE, P. V. - Rinomegalias y rinocifosis. Contribuición a su tratamiento correctivo. Arch. Urug. Med. Cir. y Espec. 16: 601.
RIVAS, C. 1. - Perdidas de sustancia cutanea de la piramide nasal. Rev. Ass. M, Argent. 54: 167.
BROWN, A. M. - Plastic operations for hump nose; notes on artistic anatomy. Arch. Otolaryn gol. 31: 827.
SARNOFF, J. - A simplified plastic operation for hump, hook, and twíst of the nose. Surgery 7: 908.
HANDOUSA, A. S. - Nasal osteomata. J. Laryngol. & Otol. 55: 197.
SIMPSON, W. L. e WILLIAMS, R I. - Osteoma of the nose and accessory sinuses with report of cases. Ann. Otol. Rhinol. & Laryngol. 49: 949.
FALCÃO, P. - Fistulas do dorso nasal. Arq. 1.o Cong. Bras. O.R.L. 3: 481.
THEVENIN, J. - La vascularisation artérielle du nez ses rapports avec certaines réactions plastiques après interventions correctives, Plasti, Chir. 1: 155.
CONVERSE, J. M. - Corrective surgery of the nasal tip. Ann. Otol. Rhinol. & Laryngol. 49: 895.
HARBERT, F. - Correction of latent displacement of free border of the septal cartilage. Arch. Otolaryngol. 31: 341.
AUBONE, J. C. - Una nueva tecnica quirurgica para corregir las perforaciones dei tabique nasal. Rev. Argent. O.R.L. 9: 287
CINELLI, A. A. - Alterations in nasal function due to anatomic variations of the nares. Arch. Otolaryngol. 31: 53.
AUFRICHT, G. - Dental molding compound cast and adhesive strapping in rhinoplastic surgical procedure. Ibid. 32: 333.
PEARLMAN, L. M. - Improved instruments and post-operative splint for nasal plastic operations. Arch. Otolaryngol. 32: 338.
CINELLI, J. A. - New instruments for use in rhinoplastic surgery. Arch. Otolaryngol. 32: 1102.
MONTEIRO, A. - lmperfuração das coavas. Arq. I.º Cong. Brasil. O.R.L. 1: 323.
PEREIRA, C. - A propósito de um caso de imperfuração coanal Rev. Med. Bras. 8: 375.
MOURA, A. - Imperfuração da coava. - Arq. 1.º Cong. Bras. O.R.L. 1: 323.
MANGIARACINA, A. - Congenital atresia of posterior nares. Arch. Otolaryngol. 32: 1088.
MORGENSTERN, D. J. - Congenital atresia of the postnasal orifices. A simple effective office tecnic for treatment by electrocoagulation. Arch. Otolaryngol. 31:653.
BROWN, J. B. - Double elongations of partially cleft palates and elongations of palates with complete clefts. Surg. Gyn. Obst. 70: 815.
DAVIS, W. B. - Methods preferred in cleft-lip and clef-palate repair. J. Internat. Coll. Surg. 3: 116.
ROY, F. - Considérations pratiques sur fentes palatines. Laval Méd. 5: 197.
SHEARER, W. L. - Cleft-palate and cleft-lip. J.A.D.A. 27:601
MASON, M. L., ANDSON, B. J. e BEATON, L. E. - The surgical and anatomical aspects of a case of double lower lip. Surg. Gyn. Obst. 70: 12.
DOHERTY, J. - Fractures of the mandibule. A statistical study of one hundred cases. J.A.D.A. 27: r35.
ZENO, L. e PELUFFO, A. A. -- Injerto oseo en el maxilar inferior. An. Cir. Rosario 6: 148.
GANZER, H - Beiträge zur Technik der Knochentransplantations bei Unterkieferdefekten (nach eingenen Erfahrungen) - Plasti. Chir. 1: 113.
SMITH, A. E. e JOHNSON, J. B. - Surgical treatment of mandibular deformations J.A.D.A. 27: 689.
KIRBY, D. B. - Blepharoptosis. The tecnique of its Surgical corrections. Sur, Gyn. Obst. 70: 438.
ROSENBURG, S. - Fascia lata transplant for ptosis. Am. J. Surg. 47: 14.
ZENO, L. - Injerto libre de piel total en los parpados. An. Cir Rosario 6: 156.
De ROTTH, A. - Plastic repair of conlunctival defects with fetal membranes Arch. OphtaIm. 23: 522.
BLAIR, V. P. e BYARS, L. T. - Paralysis of the lower lid and scleral scars and grafts. Surg. Gyn. Obst. 70: 426.
OTTY, J. H. - Paraffinoma of orbita. J. Laryngol. 55: 120.
HAGEDOORN, A. - Plastic restoration of a deformity caused by complete exenteration of the orbit Surg. Gyn. Obst. 70: 193.
FERNANDEZ, L. L. --- Orejas en asa. Un detalle. Sem. Med. 47: 89.
NEW, G B e ERICH, J. B. - Protruding ears: A method of plastic correction. Am. J. Surg. 48: 385.
YAMANAKA, K. - Ein Fall von Taschenohr. Oto-rhino-lar. 13: 98.
O' BRIEN, G. R. -- e SLAUGHTER, W. B. -- A method for reconstruction of postauricular defects. Arch. Otolaryngol. 31: 65.
VOORTHUYSEN, D. G. W, van - A new method for plastic closure of a retroauricular fistula. J. Laryngol. & Otol. 55: 325.
KIRKHAM, H. L. D. - The use of preserved cartilage in ear reconstructions. Ann. Surg. 111: 896.
CAMP, J. D. e ALLEN, E. P. - Microtia and congenital atresia of the external auditory canal; demonstration of the external auditory canal by means of tomography. Am. J. Roentgen. 43: 201.
PEMBERTON, J. J. e STALKER, L. K. - Cysts, sinuses and fistulae of the thyreoglossal duct. Results in 293 surgical cases. Ann. Surg. 111: 950.
GOUVEA, J. - L'oesophagopiastie préthoracique dans les sténoses incurables de 1'oesophage. Presse Med. 48: 159.
NOEHREN, A. H. - Artificial skin-lined antethoracic oesophagus for impermeable strieture. Surgery 7: 364.
CINELLI, A. A. - Nasal atresias: a surgical critique Ann. Otol. Rhinol & Laryngol. 49: 912.
FIGI, F. A. - Treatment of cicatricial stenosis of the larynx. Proc. Staff Meet. Mayo Cl. 15: 449. Chronic stenosis of the larynx with special consideration of skin grafting. Ann. Otol. Rhinol. & Laryngol. 49: 394.
GOODYEAR, H. M. - Nasopharyngeal atresia. Description of an operation. Arch. Otolaryngol, 32: 522.




(1) Da secção de Cirurgia Plastica do Serviço de Oto-rino-laringologia e Cirurgia Plastica da Santa Casa de S. Paulo (Dr. Mario Ottoni de Rezende).

Imprimir:

BJORL

 

 

 

 

Voltar Voltar      Topo Topo

 

GN1
All rights reserved - 1933 / 2022 © - Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico Facial