Versão Inglês

Ano:  1953  Vol. 21   Ed. 3  - Maio - Junho - ()

Seção: Revista das Revistas

Páginas: 104 a 106

 

REVISTA DAS REVISTAS

Autor(es): -

"Contribuição para o estudo histo-patologico das amidalas palatinas no reumatismo articular agudo" (Contributo allo studio istopatologico delle tonsille palatino nel reumatismo articulare acato") - Bertogalli D. e Tassi R - Archivio Italiano di Otologia, Rinologia e Laringologia - Vol. LXII - Fase. 5.º, Set.-Out. 1951 - pgs. 409-447, Milão.

Os AA., Assistentes do Instituto de Anatomia e Histologia Patológica e da Clínica ORL da Universidade de Parma, em face das relações entre, amídalas e doença reumática, propuzeram-se o estudo da histo patologia das amídalas purulentas em pacientes portadores de reumatismo articular agudo. Para que as lesões encontradas pudessem ser tidas como peculiares ao reumatismo, houve necessidade de controlar tais manifestações em pacientes não reumáticos. Porisso, ao lado de amídalas de reumáticos foram examinadas histologicamente amídalas de pacientes em cuja história faltavam dados de passado de amidalite e tambem pacientes com amidalite cronica, simples ou focal, não reumática:

Fazem minucioso estudo em todos os seus casos das lesões encontradas:

Mucosa: Esfacelo das calhadas superficiais com invasão substitutiva de tecido granulomatoso derivado de ativa proliferação, o qual aparece dissociado por traços subtis, As vezes formam-se pequenas cavidades em cujo interior e podem encontrar cristais de colesterina (colesteatomatosos).

Tecido linfático: é encontrado esclerose do tecido linforeticular mais desenvolvida ao redor de arteriolas e vênulas ao nivel das tunicas médias, representado por fenomeno de substituição por tecido colageno. Esse fenomeno foi encontrado não só nos casos de portadores de reumatismo articular agudo, como nos demais casos. Na tunica média das arterias de maior calibre, que passam pela capsula nas trabéculas interparenquimatosas, no conjuntivo periamidaliano foram encontradas alterações representadas por fibroso colagem substitutiva.

Embora não sendo este processo tambem especifico do reumatismo, é encontrado mais intensamente difundido nos vasos quanto maior tiver sido a participação da amidala no reumatismo. Há numerosas figuras ilustrativas dos quadros histologicos. Em consequencia dessas alterações vasculares, estabelece-se menor resistencia a tensão circulatoria donde maior facilidade para ruturas e hemorragias. Ainda decorrente dessas alterações vasculares notam-se alterações do conetivo perivasal com formação de granuloma ou alterações representadas por edema ou necrose.

Desses importantes estudos, os AA. concluem que muitas vezes há falta, de correspondencia entre as lesões amidalianas e as manifestações clinicas especificamente as molestias reumáticas.

Nos casos em que pela anamnese se poude relacionar evidente participação amidaliana na molestia reumatica encontraram-se granulomas perivasculares, nas varias fases de sua evolução. Entretanto, acham que tais granulomas não são especificos do reumatismo, conforme opinião de muitos outros AA. No estudo do volume atrofico das amidalas, nos portadores de reumatismo, concluem que tal se deve as condições anatomicas do orgão e não a atrofia do tecido linfoide, pois essa atrofia não foi encontrada em seus estudos, ao contrario encontraram sempre hiperplasia do tecido linfoide.

Por fim os AA. chamam a atenção para a possibilidade de serem atribuidas as lesões vasculares ao mecanismo alergico e paralergico ao qual as amídalas estão com facilidade expostas.

DR. SILVIO MARONE.

"Teste imuno-biologico no diagnóstico de infecção focal". Test imuno-biologico nella diagnosi di infezione focale - Cognesso A. Si Perna F. - Minerva Otorinolaringologica - Ano 11 - N.º 4, Julho-Agosto 1952 - 380-383 - Torino.

Os AA. dão conhecimento neste trabalho, de novo teste para o diagnóstico de infecção focal. Trata-se de um vacinoide aspecifico (Vacinoide de Spenglersan tipo D) que pode pôr em evidencia a existencia de um fóco latente provocando sensação dolorosa nas varias sédes desse fóco (dôres nas amídalas, nos dentes, nos rins, no apendice, na vesícula). Prepara-se esse vacinoide retirando-se do sangue de animal previamente imunisado os antígenos e anticorpos. Estes são tratados pelo fenol a 1-2%, narelação de 1:1.000. Aumenta-se lhe -o efeito bacteriologico ajuntando-se formoldeido a 38%. A esterilisação da solução é dada por tratamento à base de iodo e acido cloridico. A aplicação se faz colocando-se na pele do antebraço previamente desengordurado XX gotas do vacinoide, friccionando-se após com o polegar. Em seguida, o paciente acusa dôr no local do foco. Os AA. apresentam bôa estatística que lhe permitem afiançar da eficácia desse teste.

DR. SILVIO MARONE.

"A radioterapia cias estenoses tubárias cora particular referencia á roentgenterapia".

"Radioderapia das estenoses tubárias com particular referência a roentgenterapia". "Radioderapia delle stenosi tubariche com particolare riguardo alla roentgenterapia". - Tori G e Guenzi L. - Archivo Italiano di Otologia, Rinologia e Laringologia - Vol LXIII - Fasc. 4.º - Julho-Agosto 1952 - pgs. 341-346, Milão.

Considerando a grande dificuldade da remoção dos ninhos de tecido linfoide localizados ao redor do orifício rino faringeo da trompa, à custa de cujas inflamações e hipertrofias se dão alguns tipos de surdez dita tubária, é que se aventou a aplicação dos meios radioterápicos. Estes consistem essencialmente em curie e roentgenterapia. Nele os AA. apresentam os resultados desses metodos.

Curieterapia : Consiste em aplicar junto ao tecido uma cápsula de Crowe contendo 50 mgs de radio, durante 8-12 segundos de cada lado, em 3 secções com intervalo de 25-30 dias em cada secção.

Depois de apresentar as críticas a esse processo, quer quanto à dosagem utilizada, ao aproveitamento dessas dosagens, à distribuição heterogênea das irradiações no rinofaringe, os AA. apresentam e comentam estatísticas europeas e americanas.

Roentgenterapia: Este metodo é de mais facil e mais larga aplicação. Seus dados técnicos são os da roentgenterapia profunda; seus resultados surgem certamente após 1-3 meses do tratamento. As indicações da radioterapia são as seguintes: hiperplesia linfoide simples das crianças, otite média catarral recidivante, hipocausua grave e média, Otorrea tubária, aero-otite e tubo-timpanite crônica catarral dos adultos; póde ainda ser aplicada na obstrução tubaria cronificada. A experiência dos AA. baseia-se em 60 casos: 42 crianças (a maioria já adeno-amidalectomizadas) e 20 adultos. Os AA. submeteram seus casos à roentgenterapia, com controle clínico e audiométrico. Concluíram que esse processo cura os disturbios auditivos de transmissão decorrentes de estenose tubaria de origem mecânica ou inflamatória do tecido linfoide do rino-faringe, que os resultados são melhores nas formas recentes da infância e que esse metodo não apresenta os inconvenientes já apontados da curieterapia.

DR. SILVIO MARONE.

Imprimir:

BJORL

 

 

 

 

Voltar Voltar      Topo Topo

 

GN1
All rights reserved - 1933 / 2022 © - Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico Facial